Saúde

Santos tem programa inédito que ajuda pessoas a largarem o cigarro

Quase mil santistas já largaram o vício

Da Reportagem

Publicado em 01/06/2024 às 09:15

Compartilhe:

Quase mil santistas deixaram de fumar com programa da Prefeitura / Foto de Maksim Goncharenok/Pexels

Foi comemorado na última sexta-feira (31) o Dia Mundial Sem Tabaco. E quase mil moradores de Santos largaram o cigarro, desde 2014, com a ajuda do Programa de Atenção Intensiva ao Tabagista, da Prefeitura. Ao todo, segundo dados da administração municipal, 2.212 pessoas já participaram, o que representa um índice de 44,1% quando considerados os que cessaram o hábito.

“Mais de 2 mil pessoas foram tratadas em Santos e quase metade conseguiu parar de fumar por meio do nosso programa. Com o fim do tabaco, melhoramos a qualidade de vida da população, com menos doenças crônicas, número reduzido de internações, reduzindo assim o gasto com saúde ”, salientou Rogério Kredel, responsável pelo Programa de Atenção Intensiva ao Tabagista, da Secretaria de Saúde de Santos (SMS).

O tema, que chamou a atenção do público próximo à Praça da Bandeira, atraiu os olhares da Alexia Arantes, de 28 anos. Natural de Campinas, vem a Santos com frequência e elogiou o trabalho de conscientização da Prefeitura. “Embora eu não seja fumante, venho percebendo que, nos últimos anos, alguns amigos retomaram o hábito de fumar. Creio que iniciativas e campanhas como essa precisam ser mais presentes em todos os lugares do Brasil. Espero que esse tipo de ação sirva de exemplo para as demais cidades”, concluiu. 

Os malefícios do tabagismo também foram destacados pelo secretário de Saúde, Denis Valejo. Segundo o titular da pasta, diversas doenças são causadas pelo uso do tabaco, que inclusive podem prejudicar não-fumantes. “A principal causa de óbitos no Brasil se deve às doenças cardiovasculares e o fumo assume um fator de risco por exercer influência na pressão arterial, nos vasos sanguíneos e nas artérias. Havendo mais risco de AVCs e infartos. Além disso, podemos elencar doenças do trato respiratório que podem acometer o fumante e também quem convive com ele. Parar de fumar não é tarefa fácil, mas temos equipes capacitadas para incentivar o paciente”, salientou.

COMO PARTICIPAR

Pessoas interessadas em largar o hábito de fumar devem procurar a policlínica mais próxima e deixar nome e telefone para posterior contato, independente de onde morem. Caso o paciente já esteja matriculado em alguma unidade de saúde ele precisa levar somente um documento com foto. Caso não tenha cadastro em unidades do município, deve levar documento pessoal, cartão SUS e comprovante de residência. As turmas são abertas periodicamente e os interessados são convidados a participar. 

Atualmente estão em andamento os grupos nas unidades Areia Branca, Embaré, Gonzaga, Jardim Castelo, Ponta da Praia, Rádio Clube e Vila Nova. Em breve abrirão os grupos nas unidades Alemoa, Bom Retiro, Campo Grande, Jabaquara, Martins Fontes, Penha, Santa Maria e Vila Mathias

O programa consiste em sete reuniões, em princípio semanais, nas quais são passadas informações sobre métodos que ajudam a diminuir o uso do tabaco já no início do tratamento.

Em alguns casos são oferecidos medicamentos, conforme observação e prescrição médica. A atividade em grupo promove depoimentos dos participantes com o intuito de construir uma rede de apoio e o compartilhamento de experiências para estimular a descontinuidade do hábito.

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Cotidiano

Confira o resultado da Quina no concurso 6486, neste sábado (20)

O prêmio é de R$ R$ 42.000.000,00

Cotidiano

Veja quais foram os bairros com mais roubos de celular em Itanhaém; confira

Relação foi construída após a divulgação de dados pela Secretaria de Segurança Pública de São Paulo

©2024 Diário do Litoral. Todos os Direitos Reservados.

Software

Newsletter