X

Saúde

Santos reforça orientações sobre a gripe aviária após decreto de emergência

Não há, até o momento, nenhuma confirmação de que aves locais, como pombos, sejam transmissores da doença

Da Reportagem

Publicado em 17/08/2023 às 16:34

Comentar:

Compartilhe:

A-

A+

Das 13 aves confirmadas com gripe aviária no Estado de São Paulo, três foram capturadas em Santos / Divulgação

De forma alguma tocar em qualquer ave desconhecida, que apresente aspecto adoentado ou esteja morta. A orientação dada pela Prefeitura de Santos desde o último dia 13 de junho se torna ainda mais necessária após ser decretada emergência zoossanitária pelo Governo do Estado nesta semana.

Das 13 aves confirmadas com gripe aviária no Estado de São Paulo, três foram capturadas em Santos. Todas da espécie migratória trinta-réis. Não há, até o momento, nenhuma confirmação de que aves locais, como pombos, sejam transmissores da doença. Porém, em um momento de emergência zoossanitária, o Centro de Controle de Zoonoses e Vetor de Santos reforça a importância de não manipular estes animais.

O QUE FAZER

Caso encontre uma ave de qualquer espécie que esteja morta ou apresente um aspecto adoentado, o munícipe deve telefonar para a Guarda Municipal (153), para o Instituto Gremar (animais marinhos ou que estejam na faixa de areia – 13 99711-4120) ou Polícia Militar Ambiental (13 - 3348-4750). Jamais se deve recolhê-la ou dar qualquer encaminhamento inadequado, que é considerado um comportamento de alto risco sanitário neste momento.

Os protocolos municipais foram estabelecidos em 13 de junho, em reunião entre representantes da Prefeitura de Santos e da Secretaria de Agricultura do Estado de São Paulo.

Os casos de gripe em aves recolhidas em Santos foram confirmados em 30 de junho, 26 de julho e 28 de julho, após necropsias realizadas pela Coordenadoria de Defesa Agropecuária do Estado de São Paulo.

PASSO A PASSO

Como desconfiar que a ave está doente?

Sinais que podem acometer um animal com gripe:
- Pescoço caído para o lado ou para trás
- Dificuldade de locomoção
- Sinais de convulsão
- Desorientação
- Alteração nos olhos (pálpebras inchadas e/ou avermelhadas)
- Espirro, tosses, dificuldade respiratória e diarreia

Qual medida tomar?
Acionar a Guarda Municipal (153), o Instituto Gremar - animais marinhos ou que estejam na faixa de areia (13 - 99711-4120) - ou Polícia Militar Ambiental (13 - 3348-4750).

Posso recolher a ave?
Não.

O que é feito com as aves?
Uma equipe capacitada e com equipamentos de proteção individual fazem o recolhimento da ave. É recolhida amostra para análise laboratorial.

Para onde as aves são levadas?
Se o recolhimento for realizado pelo Instituto Gremar, este fica responsável pelo primeiro atendimento do animal. Nos demais casos, o animal pode ser levado à área de quarentena da Coordenadoria de Defesa da Vida Animal (Codevida), em local isolado.
Nenhuma ave doente ou morta é direcionada ao Orquidário ou ao Jardim Botânico Chico Mendes, para evitar a contaminação das demais.

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Santos

Vamos comemorar? 15ª Festa de Portugal será em junho

Um dos principais atrativos do evento é a Praça de Alimentação, com a venda de tradicionais pratos típicos, doces conventuais, cervejas e vinhos portugueses

Santos

'Encontro das Cidades ODS' contará com reflexão e ação pela Agenda 2030

Evento acontece em junho, no Centro Histórico de Santos

©2024 Diário do Litoral. Todos os Direitos Reservados.

Software

Newsletter