Cultura

Prefeitura de São Paulo cancela Carnaval de julho por falta de patrocínio

Na manhã desta quinta-feira, Nunes já havia sinalizado que a programação seria suspensa caso o edital do patrocínio fosse encerrado sem empresas interessadas

Folhapress

Publicado em 07/07/2022 às 20:21

Compartilhe:

Carnaval de rua de São Paulo, em 2020 / Danilo Fernandes/ Folhapress

O prefeito de São Paulo, Ricardo Nunes (MDB), cancelou nesta quinta-feira (7) o Carnaval de rua previsto para ocorrer nos dias 16 e 17 deste mês. O motivo é a falta de empresas interessadas em patrocinar a festa, segundo nota oficial.

A administração afirmou que lançou edital em 17 de junho com lance mínimo de R$ 10 milhões, mas nenhuma empresa se apresentou. Novo pregão foi aberto com lance mais baixo, a partir de R$ 6 milhões, porém o prazo se encerrou nesta quinta-feira sem empresas interessadas.

Na manhã desta quinta-feira, Nunes já havia sinalizado que a programação seria suspensa caso o edital do patrocínio fosse encerrado sem empresas interessadas, como ocorreu na primeira rodada. O certame se encerrou às 11h desta quinta sem participantes.

"Se por acaso não teve patrocinador, existe uma possibilidade de ter emenda de alguns vereadores, e a prefeitura não teria como fazer qualquer objeção. E, não havendo nenhuma dessas opções, a prefeitura não vai usar recurso público para fazer o Carnaval de rua neste momento fora de época", disse o prefeito.

Em reunião com os organizadores de blocos em abril, quando foi apresentado o Carnaval em julho, a secretária de Cultura, Aline Torres, declarou que os desfiles ocorreriam independentemente de a prefeitura conseguir patrocínio ou não. "Está definido que vai ter [o Carnaval em julho]", afirmou.

Ao ser questionada sobre a possibilidade de nenhuma empresa patrocinar, a secretária disse "ser muito difícil alguém não patrocinar".

"Caso não haja esse patrocinador, o que a gente acha muito difícil, a probabilidade é que o prefeito busque recursos próprios para fazer", disse a secretária.

A secretaria de Cultura foi procurada para comentar o assunto, mas não respondeu até a publicação deste texto.

Diante do impasse, parte dos blocos desistiu de participar do Carnaval em julho. Entre eles, estão cordões que costumam arrastar multidões, como Minhoqueens, Galo da Madrugada, o Meu Santo é Pop, Domingo Ela Não Vai e o Bloco da Mama.

A secretaria de Cultura afirmou que será formada uma comissão representativa com os blocos de rua para organizar o Carnaval de rua do próximo ano.

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Cotidiano

Veja quais foram os bairros com mais roubos de celular em Praia Grande; confira

Dados foram coletados pela Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo

Cotidiano

Free Flow registra mil motoristas irregulares por dia; sistema atende Litoral de SP

Pesquisa foi feita em uma região que já opera com o novo modelo de pedágio

©2024 Diário do Litoral. Todos os Direitos Reservados.

Software

Newsletter