Turismo - O circuito das águas no interior paulista

As cidades que são estâncias hidrominerais possuem fontes de água mineral, cachoeiras e rios

Comentar
Compartilhar
10 JAN 2021Por Gazeta de S. Paulo10h10
ÁGUAS DA PRATA. Tem dez fontes de água mineral e 58 cachoeiras, como a de Sete Quedas (foto). Para chegar até a cidade, use a rodovia dos Bandeirantes e siga as indicações da viaFoto: Divulgação Governo do Estado

Por Vanessa Zampronho

As estâncias hidrominerais, que possuem fontes de águas minerais, além de cachoeiras e rios, são uma opção de passeio em tempos de pandemia. Quase todas as atividades, como piscinas e parques, estão abertos ao público, mas é bom verificar o funcionamento dos equipamentos, devido às restrições da Covid-19, bem como a variação na capacidade de atendimento dos hotéis.

Uma das mais conhecidas é Águas de Lindoia, a 160 km da Capital. Suas águas são tão famosas que é fácil achar garrafas de água mineral com o nome da cidade estampado no rótulo. Até a cientista francesa Marie Curie foi à cidade conhecer e atestar a fama terapêutica da água. Mas há outros bons atrativos lá também, como o Balneário Municipal, que é praticamente um spa, com piscinas, banhos, massoterapia e sauna. Além desses atrativos, tem também turismo rural e muita natureza para conhecer e vivenciar.

 
  • ÁGUAS DE LINDOIA. É uma das mais conhecidas do estado, e fica perto da divisa com MG. O Balneário Municipal tem piscinas, banhos, massoterapia e sauna - e o funcionamento pode ficar restrito devido à pandemia.
  • SOCORRO. Famosa por ser a capital do tricô e da malha, a cidade também é referência nos esportes aquáticos, como boia cross, rafting e canoagem, além do turismo rural.
  • ÁGUAS DE SANTA BÁRBARA. O Balneário Hidromineral da cidade não tem somente uma piscina para diversão: tem também ofurô, sauna, piscina de relaxamento e banheiras.

Já na região centro-oeste do estado fica Águas de Santa Bárbara, há 280 km da Capital. A água do Balneário Municipal Mizael Marques Sobrinho leva milhares de turistas a conhecer os benefícios da água. Tem também a Cascata Capão Rico, com 37 metros de altura, que fica em área privada, mas possui boa infraestrutura para receber os visitantes, com restaurante, banheiros e vestiários, além do passeio pelo rio Pardo, um dos principais que passam pela cidade, com direito até a prática de boia cross.

Na Serra da Mantiqueira, a cidade de Socorro, na divisa com Minas Gerais, a 135 km da Capital, é famosa por ser a capital do tricô e da malha, mas tem bastante água - e, nesse caso, são os esportes de aventura que chamam a atenção, como boia cross, canoagem e rafting. O cardápio de atividades inclui rapel, tirolesa, parapente (uma espécie de voo livre feito com um paraquedas) e passeios em fazendas.

Também perto de Minas Gerais, Águas da Prata (225 km de São Paulo) tem dez fontes de água mineral, e 58 cachoeiras. Em algumas delas, é possível praticar esportes como canoagem, trilhas, rafting e boia cross. Tem o Parque Estadual de Águas da Prata, que guarda a Fonte Vilela, cuja água é tida como a mais radioativa das Américas. Mas essa radiação não faz mal: ela tem propriedades medicinais. A cidade faz parte do Caminho da Fé, um percurso de 500 km que passa por 24 cidades paulistas e mineiras, com monumentos e igrejas históricas.