Vintage, câmeras analógicas estão na moda

Casal investiu na venda de câmeras analógicas para obter renda durante a pandemia e hoje fazem sucesso no Instagram

Comentar
Compartilhar
20 JUN 2021Por Vanessa Pimentel08h28
Artistas, as duas foram afetadas quando os eventos acabaram e investiram em novo negócio.Artistas, as duas foram afetadas quando os eventos acabaram e investiram em novo negócio.Foto: Divulgação

O isolamento social causado pela pandemia trouxe novos hábitos que ajudam a passar o tempo e a distrair a cabeça. Um deles é a fotografia, mas não mais a digital, feita de forma instantânea pelas câmeras do celular. Ao menos é o que percebeu, de forma despretensiosa, Giovanna Avino, 31 anos, e sua esposa Anna Hallai, 23.

Trabalhando com arte - Giovana é cantora de funk e Annna, atriz - as duas foram diretamente afetadas quando os eventos acabaram e, de um dia para o outro, se viram sem trabalho.

Para obter alguma renda, as duas começaram a vasculhar a casa em busca de coisas que estavam sem uso e que poderiam ser vendidas. Entre os produtos encontrados, estava uma câmera analógica da mãe da Giovanna.

"Como estava funcionando anunciamos em um site de vendas online e, para nossa surpresa, ela foi vendida muito rápido. Eu não imaginava que existia procura ainda desse tipo câmera. Pesquisamos e percebemos que era um nicho, então usamos o dinheiro da venda para comprar outra e revender", explica Giovanna.

Animadas, as duas passaram a investir, em setembro do ano passado, na compra e venda de analógicas via site de compras, mas com o tempo as vendas caíram e, por pouco, elas quase desistiram.

"Aí fomos oferecer nossas câmeras para páginas de trabalham com analógicas no Instagram, mas pagavam tão pouco que a gente decidiu criar a nossa própria página", diz Giovanna.

A ideia de iniciar a @annalogicameras não foi só pela compra e venda, mas também para 'humanizar' o comércio de um produto que tem história.

"Por serem antigas essas câmeras têm um passado que vale a pena contar, então quando a gente anuncia informa também quem era o antigo dono dela, os momentos que aquela câmera fotografou como, por exemplo, uma viagem".

A tática tem atraído muitas pessoas e em 8 meses, a página já contabiliza 10 mil seguidores. As duas também apostam em sorteios para agradar a clientela e estimular o hábito de registrar momentos como era antigamente.

"Mais de 90% dos clientes são mulheres e iniciantes na fotografia. A gente explica tudo, desde como colocar o filme na máquina até como passar as fotos para o computador".

Todas as analógicas vão com garantia e são revisadas antes de serem anunciadas.

SURPRESA DO RETRATO

A expectativa de saber como a foto saiu só depois da revelação do filme atrai também o público de 15 a 30 anos. Talvez porque tudo anda tão depressa na tecnologia que ser surpreendido pelo resultado de uma imagem de filme seja revelador.

E para quem gosta de promoção, as duas fazem o Feirão Cinquentão uma vez por mês, onde câmeras são vendidas a R$ 50 devido alguma avaria.

Além dos clientes aventureiros, o casal tem até profissionais renomados, como o fotografo da Manu Gavassi.