Vigilância por câmeras começa semana que vem

A expectativa é do secretário de Segurança Pública do Município, sargento Rogério Barreto Alves

Comentar
Compartilhar
03 MAR 201318h18

A vigilância por câmeras deve começa na semana que vem, no Centro de São Vicente. A expectativa é do secretário de Segurança Pública do Município, sargento Rogério Barreto Alves.

Segundo o secretário, duas câmeras serão instaladas em dois pontos do Centro, neste primeiro momento. Um ponto é no poste da Rua Frei Gaspar com Rua Martim Afonso e outro, no cruzamento das ruas Martim Afonso com João Ramalho. A Prefeitura aguarda apenas a finalização das instalações elétricas nos postes pela CPFL e a conclusão dos serviços de infra-estrutura do Centro Integrado Operacional (CIOP) —centrais de monitoramento e 190 — que funcionará no prédio da Secretaria de Segurança Pública, na Rua José Bonifácio, no Centro.

De acordo com o secretário, o projeto prevê a instalação de 96 câmeras, de última geração, de 360º, com zoom de até 36 vezes de aproximação, porém, nesta primeira fase serão instalados 15 equipamentos. “São 14 câmeras fixas e uma móvel que devem ser instaladas na segunda quinzena de setembro, nas orlas das praias do Itararé, Gonzaguinha, Avenida Presidente Wilson, no Centro de São Vicente e da Avenida Antonio Emerick até a Praça 1º de Maio”.

O secretário disse que os locais foram “estrategicamente escolhidos porque 50% dos furtos e roubos de veículos, a transeuntes e a vendedores de bilhetes de ônibus, ocorridos na Cidade entre janeiro e abril deste ano, ocorreram na região central”. O levantamento foi feito junto ao departamento de controle de estatísticas, da Secretaria Municipal de Segurança”.

O secretário disse que 32 pessoas, entre guardas municipais e policiais civis e militares trabalharão na CIOP, que funcionará durante 24 horas. “Esse pessoal será capacitado pela DTS — vencedora da licitação — para operarem o sistema de vigilância eletrônica”.

Duas câmeras contarão com um sistema de voz e outras duas, terão telefones acoplados para comunicação direta com a central. A central estará conectada via rádio com a Polícia Militar e com a Defesa Civil, o que tornará mais eficaz as operações de prevenção de crimes, conforme o secretário. O projeto de 96 câmeras é em parceria com o Santander Banespa e tem um custo total de R$ 1,4 milhão.