Trabalho: Greve cresce no País e chega a 554 em 2011

Movimento grevista aumentou 24%, diz Dieese

Comentar
Compartilhar
01 DEZ 201212h08

O número de greves registradas no ano passado no país atingiu 554 ante 446 em 2010, o que significa crescimento de 24%.

A quantidade de paralisações também é a maior desde 1997, quando ocorreram 631. Além disso,a maior parte dos movimentos grevistas em 2011 ocorreu no setor público: 325, ante 227 no setor privado.

Os dados fazem parte do estudo Sistema de Acompanhamento de Greves (SAG),do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese).

A conclusão da pesquisa é que o crescimento da quantidade de greves está relacionado à crise econômica internacional.

Setor público

Na esfera pública, prevaleceram as greves em âmbito estadual (145 ocorrências), seguida pela municipal (109), e federal (33). Já no setor privado, a indústria foi o segmento que liderou em quantidade de movimentos: foram 131, seguida pelo segmento de serviços com 91 e pelo comércio com três.

Na avaliação do coordenador de Relações Sindicais, José Silvestre, há um fator preponderante para esse crescimento, associado ao desaquecimento da economia como reflexo da crise internacional.

O aumento de greves no setor público preocupa o Governo Fedl que quer regulamentar setor (Foto: Matheus Tagé/DL)

Colunas

Contraponto