Teto do INSS cai de dez para seis mínimos

Queda acentuada evidencia perda do poder de compra do aposentado

Comentar
Compartilhar
17 JAN 201411h47

Aposentados e pensionistas, ao longo de uma década, tiveram perdas consideráveis em seus benefícios. O teto do INSS, por exemplo, que era de 10 salários mínimos, representa neste ano de 2014, uma queda acentuada e hoje, representa apenas seis salários mínimos.

Com isso, despencou a desigualdade entre os aposentados que recebem o maior valor autorizado pela legislação e os beneficiários do piso previdenciário, equivalente ao salário mínimo.

Neste mês, o mínimo subirá para R$ 724,00. O teto do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) teve correção do INPC, de 5,56%, e está em R$ 4.390,24 equivalentes a seis vezes o piso.

Em janeiro de 2004, as aposentadorias mais altas do INSS - excluídas,  às pagas no regime dos servidores públicos e a anistiados e ex-combatentes - equivaliam a dez salários mínimos.

Teto do INSS está em R$ 4.390,24 (Foto: Matheus Tagé/DL)

Reajuste

A partir de amanhã, os aposentados e pensionistas do INSS já poderão consultar o novo valor dos seus benefícios com o reajuste de 5,56%  no site da Previdência Social. A previdência informa que os extratos atualizados estarão liberados para a consulta e se referem ao pagamento do mês de janeiro

O pagamento de benefício deste mês será pago a partir de segunda-feira, dia 27. Os primeiros a receber serão os segurados que ganham um salário mínimo, que passa a ser de R$ 724,00.

O novo benefício será pago de 27 de janeiro a 7 de fevereiro, de acordo com o final do cartão do benefício. Quem recebe acima do piso terá o dinheiro entre os dias 3 e 7 de fevereiro.

Ao acessar o extrato, os cerca de 20 milhões de beneficiários que recebem pelo mínimo verão o novo valor do benefício, de R$ 724,00 que corresponde ao reajuste de 6,78% anunciado pelo governo no final do ano passado.

Para os que recebem acima desse valor, cerca de 9,5 milhões de segurados,a nova renda virá reajustada em 5,56%.