Sindserv aguarda parecer da Procuradoria sobre monitoras de creche

As monitoras de creche de Santos voltaram às galerias da Câmara Municipal para obter respostas

Comentar
Compartilhar
15 JAN 201322h12

As monitoras de creche de Santos, respaldadas pelo Sindicato dos Servidores de Santos (Sindserv), voltaram às galerias da Câmara Municipal, ontem à noite, para obter respostas. As monitoras reivindicam o reconhecimento de sua atividade como educadoras e não querem ser transferidas de seus locais de trabalho.

Segundo o presidente do Sindserv, Flávio Saraiva, durante a sessão da Câmara, o líder de Governo, vereador Manoel Constantino, anunciou que o Executivo está empenhado em encontrar uma medida jurídica para atender a reivindicação das monitoras de creche. O prefeito João Paulo Tavares Papa estaria aguardando parecer da Procuradoria Municipal para se reunir com as monitoras e discutir as reivindicações.

De acordo com Saraiva, há 129 monitoras de creche atuando em unidades de educação infantil, em Santos. O sindicalista explicou que a Prefeitura custeou cursos superiores de pedagogia às profissionais, conforme prevê a Lei de Diretrizes e Bases (LDB). O reconhecimento das monitoras como educadoras implicará ainda em correção de suas remunerações.

As monitoras querem ainda o compromisso de que não serão remanejadas de seus atuais locais de trabalho, conforme seria a intenção da Secretaria de Educação (seduc)