Sindicato realiza novo protesto hoje pela morte de trabalhador

Será um ato ecumênico, com participação de padre católico e pastor evangélico, em louvor ao operário Paulo Dias de Moura, morto em acidente de trabalho, na usina, na tarde de quarta-feira (29/01)

Comentar
Compartilhar
07 FEV 201411h08

“Nós não podemos nos calar diante da enorme insegurança que está matando os trabalhadores. Por isso vamos fazer um ato ecumênico para que esta morte não seja esquecida, além de outras providências que estamos tomando”. O desabafo é de Marcos Braz de Oliveira, Macaé, presidente do Sintracomos, que hoje realiza, a partir das 8 horas, mais um protesto, às 8 horas, defronte a Usiminas, em Cubatão.

Será um ato ecumênico, com participação de padre católico e pastor evangélico, em louvor ao operário Paulo Dias de Moura, morto em acidente de trabalho, na usina, na tarde de quarta-feira (29/01).

“Não podemos deixar que os acidentes no setor se sucedam como se fossem naturais”, pondera o sindicalista. “E, como o problema diz respeito à comunidade, onde residem os acidentados, onde têm parentes e amigos, resolvemos promover o ato público”.