Sindicato da categoria quer melhorar proposta de 5,45% de reajuste

O mesmo índice de reajuste, descartado aumento real de salário, foi proposto também para o segmento de assessoria de imprensa

Comentar
Compartilhar
06 FEV 201323h00

O Sindicato patronal de jornais e revistas do interior, no Estado de São Paulo, apresentou proposta de reajuste salarial de 5,45% — reposição do INPC integral —, em uma única parcela, retroativa a 1º de junho (data-base da categoria). O mesmo índice de reajuste, descartado aumento real de salário, foi proposto também para o segmento de assessoria de imprensa.

No entanto, segundo o secretário-geral do Sindicato dos Jornalistas do Estado de São Paulo, André Freire, o sindicato dos trabalhadores pretende negociar a reposição salarial de até 12,83%, que inclui o reajuste do INPC de 5,45% já garantido pelo patronato, mais ganho real.

Freire afirmou que é possível ampliar a margem de reajuste considerando a lucratividade das empresas de Comunicação. Segundo ele, 2008 foi um ano excepcional para o setor e 2009, mesmo com reflexos da crise, está sendo melhor que o de 2007, ano em que não havia crise.

Segundo pesquisa da Intermeios, os jornais faturaram R$ 1,2 bilhão e as revistas R$ 554,8 milhões nos cinco primeiros meses de 2009. Apesar de ter ficado abaixo, se comparado ao mesmo período de 2008, ainda assim é superior a 2007, que ficou em R$ 1,1 bilhão (jornais) e R$ 499,9 milhões (revistas).

Freire disse ainda que o percentual de reajuste referente ao INPC será repassado ao piso salarial da categoria e aos benefícios. Só no Estado de São Paulo atuam aproximadamente 20 mil profissionais.

Freire informou ainda que uma assembleia para discutir a proposta para os profissionais de jornais e revistas do interior deverá ser convocada na próxima semana.
O sindicato aguarda ainda a proposta de reajuste salarial para os jornais e revistas da Capital.