Sindicalistas vão ocupar Brasília no próximo dia 24

Nove centrais sindicais decidiram fazer mobilizações com marcha à Brasília no dia 24. Manifestações começam amanhã em Santos com ato na Praia do Gonzaga

Comentar
Compartilhar
10 MAI 2017Por Da Reportagem10h50
Fábio Pimentel e Paulo Pimentel, presidentes do Sindest e Sintrasaúde: mobilização será em BrasíliaFoto: Matheus Tagé/DL

Os sindicalistas de todo País prometem ocupar Brasília no próximo dia 24 a fim de pressionar deputados federias e senadores para não ­aprovarem as reformas trabalhista e previdenciária que se encontram em debates no ­Congresso Nacional.

As mobilizações começam ontem nos aeroportos do País, onde sindicalistas fizeram corpo a corpo com parlamentares em seus estados e prosseguem hoje e ­amanhã.

Em Santos, o ponto alto das manifestações desta semana se concentram amanhã na Praia do Gonzaga, onde sindicalistas vão fincar cruzes com nomes dos parlamentares que aprovaram a reforma trabalhista e a terceirização  na Câmara Federal, com ênfase para os três deputados da região: Beto Mansur, João Paulo Tavares Papa e Marcelo Squassoni, cujas fotos com seus nomes constam em cartazes distribuídos em vários locais da Baixada ­Santista.

A frase no cartaz abaixo das fotos dos parlamentares diz: “Você tinha direitos trabalhistas até esses deputados federais da região tomarem de você”.

A partir da próxima semana, em ônibus fretados, sindicatos de Santos estarão levando trabalhadores e diretores para manifestações em Brasília. E, no dia 24, o encerramento das manifestações será com a Marcha Nacional à Brasília.

A definição ocorreu durante reunião na sede do Dieese, onde os sindicalistas aprovaram também outras ações, como o corpo a corpo com ­parlamentares no aeroporto da capital federal, debate com parlamentares em seus redutos eleitorais e fortalecer o movimento com o apoio de entidades como CNBB, OAB e Anamatra, entre outras.

Desta vez vamos invadir Brasília, dizem presidentes do Sindest e do Sintrasaúde

Os sindicalistas Paulo Pimentel, PP, presidente do Sintrasaúde e diretor da Nova Central Sindical de Trabalhadores (NCST) na Baixada Santista e Fábio Pimentel, presidente do Sindest e diretor da NCST/SP, estiveram ontem no Diário do Litoral e na TV DL para divulgar as manifestações sindicais e falar da organização da marcha nacional à Brasília, no próximo dia 24, na qual as entidades sindicais estarão presentes.

“Nós vamos invadir Brasília”, disseram os dois sindicalistas e afirmam que a NCST está empenhada em levar o maior número possível de pessoas para as manifestações e pressões no Congresso Nacional.

“Existe uma mobilização forte, já demonstrada na greve geral do último dia 28 de abril e agora haverá a sequência. Não podemos parar nessa luta pois o Governo quer tirar os direitos trabalhistas e previdenciários históricos que foram conseguidos   com muita luta e sacrifício”, disse Paulo Pimentel.

“O momento é agora, ou nos mobilizamos e mostramos nossa força e união, ou então os trabalhadores irão sofrer prejuízos irreparáveis. Temos que lutar enquanto ainda é possível vencer “, disse Fábio.

Confira o calendário:

09/05 - terça-feira
10h - na Sede da CUT/DF - reunião  das centrais sindicais para organizar a agenda de atuação no Congresso
15h - Reunião com Senador Romero Jucá
18h - Reunião com o Senador Ricardo Ferraço.

16/05 - terça-feira
Corpo a corpo nos aeroportos e reuniões com os deputados e senadores  nos Estados.

17/05 - quarta-feira
#OcupeBrasília, lideranças das centrais sindicais  visitam parlamentares e líderes partidários no Congresso. Vamos montar nesse dia a Tenda da Resistência. Pedimos às entidades que possam deslocar quadros dirigentes para reforçar a vigília.

24/05 - quarta-feira
Marcha Nacional Dia 24 de maio contra o desmonte da Previdência e em defesa dos direitos da classe trabalhadora.