Sindicalistas promovem hoje enterro simbólico da CLT

Caixão, cruzes e vela preta na Praça das Bandeiras, em Santos, nesta quinta-feira, às 19 horas

Comentar
Compartilhar
11 MAI 2017Por Da Reportagem10h50
Mobilização sindical teve como ponto de partida a greve geral realizada no dia 28 de abrilFoto: Rodrigo Montaldi/DL

Seguindo o calendário de luta aprovado pelas Centrais Sindicais, o movimento sindical da Baixada Santista promove hoje um enterro simbólico da CLT, dos trabalhadores brasileiros e da carteira de trabalho assinada, a partir das 19 horas, na Praça das Bandeiras, no Gonzaga, em Santos. Serão utilizadas velas pretas, caixão e muitas cruzes.

De acordo com os sindicalistas, esta atividade de rua tem como objetivo despertar a atenção da população para continuar e aprofundar o debate sobre os efeitos negativos para a toda sociedade e para o desenvolvimento econômico e social brasileiro, destas desumanas reformas (desmonte das leis trabalhistas e da aposentadoria) do governo federal.

Segundo nota das centrais sindicais, todos os movimentos sociais, sindicatos, centrais, estudantes e demais militantes estão convidados a demonstrar sua indignação promovendo uma grande concentração na Praça das Bandeiras.

Este será um dos eventos programados para esta semana, que prossegue a partir do dia 15 com mobilizações regionais e também em Brasília.

Marcha

Em reunião entre as centrais, movimentos sociais e o Dieese, dia 5/5, em São Paulo, foi deliberado que os trabalhadores vão ocupar Brasília dia 24/5, com uma marcha nacional. Diversos ônibus estão sendo fretados por sindicatos e centrais sindicais da Baixada Santista.

As centrais sindicais estão informando a população sobre essa mobilização. “Vamos ocupar Brasília e chacoalhar o congresso de maioria antipopular. Vamos, também, aumentar a pressão sobre os parlamentares, deixando claro que quem votar contra os trabalhadores nunca mais vai receber o nosso voto”.

E conclui:”Esses parlamentares terão seu nome e cara estampados nos postes, redes sociais, outdoors e dentro dos lares, através dos imãs de geladeira que lembrarão para sempre o nome dos traidores do povo”, diz a nota.

Os sindicatos já estão fretando ônibus para a ida a Brasília no dia 24.