Sindest reverte problema no 13º de professor e motorista

O secretário municipal de gestão, Fábio Ferraz, garantiu ao presidente do Sindicato dos Servidores Estatutários Municipais de Santos (Sindest), Fábio Marcelo Pimentel

Comentar
Compartilhar
11 DEZ 201320h50

Os problemas no 13º salário dos 400 professores adjuntos da Prefeitura de Santos estão resolvidos e as diferenças serão pagas até o final de dezembro.

Foi o que garantiu o secretário municipal de gestão, Fábio Ferraz, nesta quarta-feira (11), ao presidente do Sindicato dos Servidores Estatutários Municipais de Santos (Sindest), Fábio Marcelo Pimentel.

Os adjuntos têm carga horária correspondente a cerca de um terço das 200 horas mensais dos professores fixos. E foi nessa diferença que ocorreu o problema do abono de Natal.

Eles complementam seus vencimentos, até chegar ao total de 200 horas, por meio de projetos pedagógicos. Mas as horas correspondentes a essa complementação não foram computadas.

A prefeitura comprometeu-se, além de pagar a diferença, a elaborar legislação que evite o problema a partir de 2014. A lei abrangerá ainda os 300 professores fixos que também desenvolvem projetos pedagógicos.

Os problemas no 13º salário dos 400 professores adjuntos da Prefeitura de Santos estão resolvidos (Foto: Divulgação)

Esses fixos, segundo Fábio Pimentel, também não receberam o abono natalino conforme as horas que despendem, além das 200 normais, para a elaboração dos projetos.

Neste ano, eles não receberão as diferenças, mas serão contemplados a partir de 2014, conforme garantido a Pimentel e aos diretores que o acompanharam, Josias Aparecido Pereira e José Antônio Ferreira.

Os sindicalistas explicam que os demais professores da rede municipal, algo em torno de 2.300, receberam normalmente o 13º salário, conforme a legislação.

O secretário Fábio Ferraz recebeu Pimentel e Josias durante a tarde, em seu gabinete, onde abriu o processo 132535-2013-18, para garantir o pagamento das diferenças aos professores adjuntos.

Motoristas

As reclamações de alguns motoristas de ambulâncias e ônibus escolares que chegaram ao sindicato também foram resolvidas na audiência e as diferenças serão pagas até o final do mês.