Seminário discute a imagem da mulher na mídia na 6a feira

O fórum, que acontecerá a partir das 19 horas

Comentar
Compartilhar
02 MAR 201321h26

A exploração da sexualidade feminina, o preconceito contra a mulher negra, a violência doméstica, a exposição excessiva da mulher como objeto de consumo. Estes temas serão discutidos no seminário ‘A imagem da mulher na mídia televisiva’ que será promovido nesta sexta-feira pelo Observatório da Mulher. O fórum, que acontecerá a partir das 19 horas, no Sindaport, à Rua Júlio Conceição, nº 91, na Vila Mathias, em Santos, abre as atividades do núcleo santista.

O Observatório da Mulher é uma associação de mulheres que iniciou na Capital e é pioneira na Baixada Santista. A deputada federal e ex-prefeita de São Paulo Luiza Erundina é uma das palestrantes convidadas. Outra palestrante é a psicóloga Rachel Moreno, presidente do Observatório em São Paulo.

A psicóloga Márcia Silveira Farah Reis, especialista em violência doméstica e membro do Observatório, afirma que o objetivo desse encontro é contestar o padrão que a mídia estabelece para a mulher, expondo a mulher como um objeto de consumo.

A advogada, Tatiana Evangelista, membro da comissão do Advogado Negro da OAB, diz que o núcleo santista promoverá um ciclo de palestras, de modo a manter um diálogo permanente com a imprensa, principalmente, no intuito de combater a imagem atual da mulher na mídia. “Que mulher queremos ver na mídia? Vende-se uma imagem de violência, machismo e um padrão de beleza Gisele Bündchen que desestimula as mulheres negras”, comenta Tatiana.

Já a psicóloga, Maria Aparecida de Souza Costa, especialista em saúde pública e violência doméstica, ressalta que entre os projetos do núcleo santista do Observatório está o resgate do movimento feminino na Cidade, de modo a incentivar órgãos competentes a promover políticas públicas voltadas para a mulher.

O seminário conta com o apoio do Sindicato dos Empregados na Administração Portuária (Sindaport) que cedeu a sede para a realização do evento. A entrada é franca. Mais informações podem ser obtidas pelo telefone 2102-3900, com a Jamila, assessora de imprensa do Observatório).