Santos fica fora das comemorações do Dia do Trabalho

Sindicalistas e trabalhadores da Baixada vão participar de eventos sobre a data em São Paulo

Comentar
Compartilhar
01 MAI 201500h50

As centrais sindicais não vão comemorar hoje o Dia do Trabalho em Santos. Seus diretores alegam falta de verba e vão comemorar a data nos eventos que serão realizados em São Paulo. A Força Sindical, por exemplo, vai promover, mais uma vez, um megaevento, com shows de cantores famosos, presenças de políticos e sorteios de prêmios, entre eles, 19 carros zero quilômetro.

O 1º de Maio 2015 da Força Sindical terá como lema “Crescimento Econômico com Garantia de Direitos e Empregos”, e será realizado das 9 às 15 horas na Praça Campo de Bagatelle, Zona Norte de São Paulo, próximo à estação Santana do metrô. As instâncias estaduais e regionais da Central, além de sindicatos e federações, também vão comemorar o Dia do Trabalho.

“O tema escolhido indica a reivindicação prioritária da Central na atual conjuntura econômica. Foi positiva a criação de 19.282 empregos em março, conforme o Ministério do Trabalho e Emprego. No entanto, isto não basta! É preciso mais, especialmente empregos de qualidade com salários dignos, o que chamamos de trabalho decente”, declara Miguel Torres, presidente da Força Sindical. 

Força Sindical lembra data com shows em SP (Foto: Divulgação/Força Sindical)

Santos é pioneira

Apesar de Santos ter ficado de fora das comemorações do Dia do Trabalho deste ano, a cidade tem uma forte história sindical e trabalhista, pois foi a pioneira na comemoração desta data no Brasil, isto em 1895.

Anos mais tarde, mais uma vez, Santos despontou no cenário nacional com greves históricas que paralisaram o porto e indústrias, tendo sido considerada a República Sindical do País. Pagou caro por isso.

Em 1964, no início da ditadura militar, Santos teve vários sindicatos fechados sob intervenção e líderes sindicais foram presos e trancafiados no navio-prisão Raul Soares.

O Dia do Trabalho no Brasil foi instituído em 1902.