Banner gripe

Previdência retira 24 milhões de pessoas da pobreza

Número é expressivo e representa uma redução de 12,8% na taxa de pobreza no Brasil. Dados são da Pesquisa Nacional por Amostras de Domicílios

Comentar
Compartilhar
03 NOV 201211h30

Segundo dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios ( PNAD), em 2011, os benefícios pagos pela Previdência Social retiraram da condição de pobreza 24 milhões de pessoas, uma redução de 12,8% na taxa de pobreza do Brasil. A informação está no Informe de Previdência Social, divulgado na última quinta-feira, que traz uma análise dos técnicos da Previdência sobre os números da PNAD. Foram consideradas pobres pessoas com rendimento domiciliar per capita inferior a meio salário mínimo. Para ter acesso ao estudo completo,.

“A renda previdenciária favorece, sobretudo, aqueles com idade superior aos 55 anos – a partir dessa idade nota-se uma significativa expansão da diferença entre o percentual de pobres com e sem as transferências previdenciárias. Portanto, a pobreza diminui com o aumento da idade, chagando ao limite inferior de 10% para a população com 70 anos de idade ou mais”, conclui o estudo.
 
O artigo destaca, também, o aumento da cobertura previdenciária no Brasil, em 2011. O número de pessoas, com idade entre 16 e 59 anos que estavam protegidas pela Previdência Social, chegou a 60,5 milhões. Elas faziam parte de um universo de 85,6 milhões de pessoas que se declararam ocupadas e estavam nessa mesma faixa etária. Isso significa que, de cada 10 trabalhadores, 7 estavam protegidos, de acordo com o artigo.
 
A maior categoria com pessoas protegidas é a de contribuintes do Regime Geral de Previdência Social (54,4% dos ocupados com idade entre 16 e 59 anos). Se considerado o gênero, diz o estudo, em 2011, a proteção social era maior entre os homens (71,4%), frente às mulheres (69,7%).

Colunas

Contraponto