Portuários preparam estratégia para tentar reverter texto da MP-595

Sindicalistas dos portos de todo País participam de plenária na próxima semana em Brasília

Comentar
Compartilhar
13 FEV 201313h19

Trabalhadores  portuários do País voltam novamente suas atenções para Brasília. Eles preparam uma estratégia de luta para tentar reverter o texto da Medida Provisória 595/12, editada pelo Governo Federal, e que segundo os líderes sindicais reduz o mercado de trabalho de portuários e avulsos. Já o Governo, através da ministra da Casa Civil, Gleisi  Holfmann, diz que os portuários terão seus direitos assegurados.

A estratégia de luta dos portuários será definida na plenária que ocorre na próxima semana, nos dias 19, 20 e 21, em Brasília, reunindo os sindicalistas de todo País.
Na semana passada, trabalhadores portuários dos portos nacionais invadiram a Capital Federal e lotaram as dependências do Congresso Nacional para protestar contra a Medida Provisória 595/2012.

Uma comissão formada pelas lideranças das categorias se reuniu com o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL). Após ouvir os dirigentes sindicais, o político se comprometeu a interferir no processo em favor dos portuários.

A nomeação do senador Antonio Carlos Valadares (PSB-SE) para o cargo de relator da Medida Provisória 595, cuja comissão parlamentar mista irá apreciar as 645 emendas que foram apresentadas por representantes de praticamente todos os seguimentos envolvidos, foi um dos principais pleitos dos sindicalistas durante o encontro.

Sindicalistas de Santos têm se reunido toda semana em busca sde soluções para garantia do mercado de trabalho. Eles mencionam que as categorias estão mobilizadas e esperançosas em um desfecho favorável. Mas avisam que se os argumentos não forem aceitos, os trabalhadores vão deflagrar uma greve em todos os portos.

Greve - Trabalhadores ameaçam parar os portos (Foto: Arquivo DL)