População continua sem transporte público

Categoria continua parada. Hoje tem reunião de conciliação no TRT-SP

Comentar
Compartilhar
14 NOV 201211h39

Os funcionários da Translíder, empresa responsável pelo transporte público de Cubatão, entram nesta quarta-feira (14) no terceiro dia de paralisação e, ao que tudo indica, a greve ainda vai longe. “Se não houver acordo até esta quarta-feira, a categoria vai ficar parada até depois dos feriados, ou seja, até o dia 21“, explica o presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários (SindRod), Valdir  de Souza Pestana. 

A categoria decidiu permanecer paralisada após a assembleia da última noite e a falta de acordo na reunião de conciliação que ocorreu na gerência regional do Ministério do Trabalho e Emprego.
 
Segundo a assessoria de imprensa do SindRod, durante a mesa redonda, a Translíder alegou que não pode pagar a receita de outubro, cerca de R$ 400 mil, porque a Prefeitura não faz o repasse de verbas há seis meses, afirmando ainda que a Prefeitura deve mais de R$ 5 milhões à empresa. A Administração confirmou que não pode pagar por conta da forte queda na arrecadação, cerca de 40% da receita. Durante a conciliação estiveram presentes a gerência da empresa de transportes e, por parte da Prefeitura, um procurador e um advogado.
 
Funcionários da Translíder se manifestaram em passeata, caminharam da garagem da empresa até o Paço Municipal (Foto: Matheus Tage/DL)
 
Nesta quarta, às 14 horas, haverá outra reunião de conciliação, desta vez no Tribunal Regional de Trabalho, em São Paulo. Com acordo ou não, às 19 horas, os sindicalistas e os trabalhadores se encontram em assembleia para decidir os próximos passos. Segundo a assessoria, o sindicato acredita que não haverá acordo e a greve terá que ir a julgamento, provavelmente, marcado só depois dos feriados.
 
Na manhã da terça-feira (13), a categoria fez uma passeata, caminhando da garagem da empresa até a frente da Prefeitura. Na quarta, eles permanecerão paralisados em frente ao Paço Municipal, a partir das 6 horas.
 
Resposta
 
Em nota oficial emitida na última segunda-feira (12), a Prefeitura diz estar tomando providências para que o serviço seja restabelecido, mas em nenhum momento cita a quitação dos pagamentos atrasados.

Colunas

Contraponto