PF deflagra greve de três dias

A categoria já vem realizando uma série de paralisações e assembléias devido ao impasse nas negociações com o Governo Federal para o pagamento dos 30% restantes

Comentar
Compartilhar
25 FEV 201322h04

Policiais Federais de todo o país iniciam nova paralisação hoje contra o não pagamento da segunda parcela de reposição salarial de 60% proposta pelo ex-ministro da Justiça, Márcio Thomaz Bastos. A categoria já vem realizando uma série de paralisações e assembléias devido ao impasse nas negociações com o Governo Federal para o pagamento dos 30% restantes.  

Segundo o delegado do Sindicato dos Servidores da Polícia Federal da Baixada Santista (Sindpolf), Gilson Cláudio Valim, a greve será de 72 horas, em virtude da negativa do Ministério do Planejamento à proposta da Federação Nacional dos Policiais Federais (Fenapef) de pagamento de 15% do reajuste no próximo mês de junho e o restante, em janeiro de 2008.

Valim disse que em reunião realizada ontem à tarde, em Brasília, com a categoria, o ministério manteve a proposta de pagamento dos 30% em duas parcelas iguais com datas de junho de 2008 e junho de 2009, feita anteriormente.

Hoje entidades sindicais que representam os cerca de 12 mil servidores da PF realizam assembléia, em todo o país, para deliberar sobre a paralisação. Em Santos, a categoria se reúne a partir das 9 horas, na sede da Polícia Federal (PF), à Rua Riachuelo, 27, próximo à Praça Mauá, no Centro. De acordo com Valim, a PF atenderá apenas emergências e flagrantes. A paralisação afeta diretamente portos e aeroportos.