Merendeiras recebem 13º com 21 dias de atraso

O depósito, que deveria ter sido feito em 20 de dezembro, ocorreu apenas ontem (9), mas os valores só caíram na conta das trabalhadoras nesta sexta-feira (10)

Comentar
Compartilhar
10 JAN 201420h21

Com atraso de 21 dias, as 147 merendeiras da empreiteira Convida Refeições Denadai, que presta serviços às escolas e creches municipais de Guarujá, receberam a segunda parcela do 13º salário.

O depósito, que deveria ter sido feito em 20 de dezembro, ocorreu apenas ontem (9), mas os valores só caíram na conta das trabalhadoras nesta sexta-feira (10).

O presidente do Sindicato dos Trabalhadores nas Empresas de Refeições Coletivas de Cubatão, Santos e região (Sintercub), Abenésio dos Santos, reclama o pagamento de juros e correção monetária.

O sindicalista cobra ainda o pagamento de multa, por parte da empresa, correspondente à metade do salário de cada trabalhadora, por desrespeito à convenção coletiva de trabalho.

Na segunda-feira (13), o departamento jurídico do sindicato iniciará a ação, contra a empresa e a prefeitura, como responsável solidária, por perdas e danos morais.

Merendeiras receberam a segunda parcela do 13º salário (Foto: Paulo Passos)

Abenésio pondera que as trabalhadoras tiveram perdas a partir do momento que não puderam pagar contas e carnês em dia, arcando ainda com multas e juros de cartões bancários.

“Houve também danos morais”, explica Abenésio, “pelo fato das companheiras passarem por caloteiras. Sem contar o fato de muitas não terem comprado presentes de Natal para seus filhos”.

Também na segunda-feira, o jurídico do Sintercub cuidará do processo que encaminhará ao Ministério Público Estadual (MPE), questionando o contrato da prefeitura com a Denadai.

Ele argumenta que já pediu cópia do contrato às duas partes, por várias vezes, mas nunca foi atendido: “Vamos ver se elas têm a mesma desídia com os procuradores públicos”.