Intervenção do Portus é prorrogada até 31 de janeiro

Previc estende prazo até 31 de janeiro e substitui o interventor . Portuários ficam em alerta.

Comentar
Compartilhar
11 DEZ 201217h19

A Superintendência Nacional de Previdência Complementar (Previc), mediante portaria nº 698 publicada no diário Oficial da União, prorroga a intervenção do Portus, previdência complementar dos portuários, até 31 de janeiro de 2013.

A Previc ainda dispensou o interventor José da Silva Crespo Filho e nomeou Maria Batista da Silva para exercer a função, segundo Portaria nº 699.

Sob intervenção desde agosto de 2011, o fundo enfrenta problemas financeiros devido à inadimplência das patrocinadoras que resultou em dívida de R$ 4 bilhões.

De acordo com o presidente da Federação Nacional dos Portuários (FNP), Eduardo Guterra, a FNP vai solicitar reunião com o grupo de trabalho criado pela Secretaria de Portos (SEP) para acompanhar a intervenção.

Garantir 13º

Diante dessas mudanças a Federação Nacional dos Portuários quer saber da SEP informações sobre: a garantia de pagamento do 13º para os participantes, a liberação dos R$ 150 milhões— autorizados pelo então presidente Luiz Inácio Lula da Silva —, medidas que serão tomadas pela comissão que acompanha o assunto na Casa Civil e a auditoria da Fundação Getúlio Vargas para levantar o valor da dívida das patrocinadoras com o Portus.

A Federação Nacional dos Portuários solicitou ainda reunião com a nova interventora que se comprometeu de reunir-se com representantes dos portuários, assim que estiver informada sobre a situação do Portus. Até lá, os portuários vão permanecer em alerta.

A crise financeira do Portus vem se arrastando já há algum tempo e a situação tem preocupado os portuários de todo o País, uma vez que trata-se da previdência complementar das categorias que estão apreensivas.

Portuários querem garantir verba para 13º (Foto: Arquivo/DL)

 

Colunas

Contraponto