Índice que reajusta aposentadoria será divulgado hoje pelo IBGE

Aumento dos beneficios do INSS acima do salário minímo será pelo INPC. Previsão é de 5,7%

Comentar
Compartilhar
10 JAN 201411h01

Mais de nove milhõe de aposentados e pensionistas do INSS, que ganham acima do salário mínimo, vão saber hoje, de forma oficial, o valor exato do índice que vai reajustar seus benefícios. O índice será usado também para reajustar o teto previdenciário.

Para aplicar o aumento das aposentadorias, dos auxílios e das pensões, o Governo Federal usa a inflação do Índice Nacional de Preços ao Consumidor(INPC), medido pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística(IBGE), em 2013.

A previsão feita já ao final de 2013 é que esse índice será de 5,7%, o que levaria o teto de pagamento do INSS, que é o valor máximo dos benefícios, de R$ 4.159 para R$ 4.396,06 , retroativo a 1º de janeiro.

Em 2013, o reajuste aplicado nos benefícios do INSS acima do salário mínimo,  foi de 6,2%, que ficou pouco acima do índice inicialmente anunciado pela Previdência, de 6,15%.  Espera-se que para este ano, não será diferente, devndo ocorrer pequena variação a mais que os 5,7% já previamente aguardado.

Aposentados querem  mobilização em busca de aumento real neste ano (Foto: Matheus Tagé/DL)

Mínimo 

Já a maioria dos aposentados e pensionistas do INSS, cerca de 16,5 milhões de segurados, que ganha salário mínimo teve reajuste maior de 6,78%, dentro da política de valorização do salário mínimo. Esses segurados recebem seus benefícios a partir do próximo dia 27 no valor de R$ 724.

A previsão inicial do governo era que o salário mínimo passaria  para R$ 722,90, mas o valor foi arredondado para R$ 724.

A mudança foi provocada pela revisão do crescimento do PIB de 2012, de 0,9% para 1%.  O ajuste vai gerar um custo extra de R$ 250 milhões ao governo.

Centrais

As centrais sindicais, que no ano passado, tentaram obter um reajuste acima do INPC também para os aposentados que ganham acima do piso nacional, prometem intensificar a luta para obter avanços neste ano.

Mesmo sendo um ano atípico, com Copa do Mundo de Futebol sendo realizado no Brasil e também as eleições majoritárias em todo País, sindicalistas prometem mobilizar os aposentados para conseguir a valorização das aposentadorias.

A previsão de especialistas é de que com o novo reajuste das aposentadorias, haverá uma nova defasagem entre o teto pago pelo INSS e  o salário mínimo.

É que há 10 anos, o teto do INSS  equivalia a 10 salários mínimos e a diferança hoje caiu para seis salários mínimos, uma vez que o piso nacional tem recebido aumento real, o que não ocorre com as demais aposentadorias e pensões.