Histórico de lutas e conquistas marca o cinquentenário amanhã do Sindogeesp

O feito significou a independência da categoria, até então vinculada ao Sindicato dos Operários e Trabalhadores Portuários em Capatazia (Sintraport)

Comentar
Compartilhar
07 JUN 201402h37

Os 1.260 profissionais associados ao Sindicato dos Operadores de Guindastes e Empilhadeiras do Estado de São Paulo (Sindogeesp) estão em festa. Isto porque amanhã a primeira entidade sindical portuária estará comemorando 50 anos de existência.

Fundado em 8 de junho de 1964, em meio a um recéminstaurado regime ditatorial no país, a história do Sindogeesp teve início um ano antes, mais precisamente no dia 23 de março de 1963, quando 97 trabalhadores especializados na operação de máquinas e equipamentos se reuniram na sede do Sindicato dos Ensacadores e Carregadores de Café de Santos para criarem a Associação Profissional dos Motoristas em Guindastes do Porto de Santos.

O feito significou a independência da categoria, até então vinculada ao Sindicato dos Operários e Trabalhadores Portuários em Capatazia (Sintraport). Passados pouco mais de um ano a associação foi finalmente reconhecida pelo ministro do Trabalho, Arnaldo Lopes Süssekind, como entidade sindical, surgindo assim o Sindicato dos Motoristas em Guindaste do Porto de Santos.

“Foi uma árdua batalha e os companheiros foram incansáveis para que aquele sonho fosse definitivamente transformado em realidade”, afirmou o presidente Guiesforços“Foi uma árdua batalha e os companheiros foram incansáveis para que aquele sonho fosse definitivamente transformado em realidade”, afirmou o presidente Guilherme do Amaral Távora, lembrando que o sindicato foi fundado apenas 68 dias após a deflagração do Golpe Militar, em 31 de março de 1964.

O dirigente recorda que nem mesmo a ostensiva presença de tanques e militares armados nas ruas das principais cidades do país, inclusive de Santos, foi suficiente para impedir o intento daqueles 97 trabalhadores determinados a fundarem o sindicato.