Greve pode parar transporte coletivo

Paralisação vai afetar Guarujá, Bertioga e seletivos de Santos.

Comentar
Compartilhar
06 FEV 201310h13

O transporte coletivo de Bertioga, Guarujá e os micro-ônibus seletivos de Santos podem parar, a partir de amanhã, com greve dos 1.140 trabalhadores do setor.
Eles estão convocados para três assembleias, na tarde e noite de hoje, no Sindicato dos Trabalhadores Rodoviários de Santos e região (Sindrod).

Na quinta-feira passada (31), a categoria decretou ‘estado de greve’, em três assembleias, por causa de constantes atrasos de pagamentos, que vão de adiantamentos salariais ao plano de saúde.

Segundo o presidente do sindicato, Valdir de Souza Pestana, os trabalhadores correm risco de ficar sem atendimento médico, hospitalar e ambulatorial.

O sindicalista revela que o grupo Sobral, proprietário das viações Bertioga, Translitoral e Guaiúba (seletivos), não paga as parcelas do plano de saúde há quatro meses.

Pagamento - Atraso no pagamento  e no plano de saúde está levando categoria à greve (Foto: Luiz Torres/ DL)

Pestana explica que o atendimento só não foi cortado porque o sindicato, por meio de seguidos empréstimos bancários, conseguiu saldar as mensalidades com o plano Intermédica. “Agora, não temos mais a quem apelar”, lamenta o presidente do Sindrod. “Estamos com o caixa do sindicato no vermelho e nenhum banco nos faz mais empréstimos”.

As assembleias da semana passada autorizaram o departamento jurídico do sindicato a entrar com dissídio coletivo no Tribunal Regional do Trabalho (TRT-SP).

A paralisação, segundo Pestana, apressará o julgamento do dissídio na Justiça do Trabalho.