Greve paralisa os portos amanhã por seis horas

Paralisação nacional ocorre das 7 às 13h. Categoria luta por PCCS e quer solução para Portus e Guarda

Comentar
Compartilhar
23 JAN 201411h24

Trabalhadores portuários vão paralisar as atividades por seis horas amanhã, das 7 às 13 horas, e também no próximo dia 30, por 24 horas, a partir das 7 horas. Em reunião na sede da Federação Nacional dos Portuários (FNP), em Brasília, na segunda-feira, líderes sindicais de todo o país confirmaram a adesão ao movimento, aprovada em assembleias regionais da categoria.

O sindicalista santista  Everandy Cirino dos Santos, presidente do Sindaport e vice-presidente da FNP, participou da reunião em Brasília e confirmou a adesão dos trabalhadores de Santos.

Os portuários reivindicam a implantação do plano de cargos carreira e salários (PCCS), uma solução para o Portus, previdência complementar da categoria e a regulamentação das atividades da Guarda Portuária, sem terceirização.

A normatização da Guarda Portuária a cargo da Secretaria de Portos (SEP) é motivo de questionamentos por parte dos trabalhadores que reivindicam mais participação na criação do regramento para a atividade. Em novembro de 2013, a Secretaria apresentou proposta aos trabalhadores que permite a contratação de segurança privada para a vigilância dos portos. Para os trabalhadores, a possibilidade representa um risco à segurança portuária. “O nosso desafio é combater a terceirização”, disse o presidente da FNP, Eduardo Guterra.

 Paralisação do porto amanhã será das 7 às 13 horas (Foto: Matheus Tagé/DL)