Banner gripe

Greve dos estivadores de Santos segue para o segundo dia

O impasse continua e os 3,5 mil trabalhadores do Porto estão parados por tempo indeterminado

Comentar
Compartilhar
02 MAR 2019Por Glauco Braga09h00
Os estivadores de Santos começaram o movimento em frente à Libra TerminaisFoto: Nair Bueno/DL

A greve dos 3,5 mil estivadores de Santos segue para seu segundo dia. De acordo com os representantes da categoria o movimento teve 99% de adesão ontem. Os trabalhadores garantiram que os terminais de contêineres da Libra, Santos Brasil e BTP foram totalmente afetados com a paralisação.

O Sindicato dos Estivadores começou o movimento com uma assembleia na Parede da Estiva, no Centro de Santos. A partir dali, ficaram concentrados na porta da Libra Terminais. Eles garantiram que, na Santos Brasil, os trabalhadores que estavam trabalhando nos navios tiveram que dobras na parte da manhã. Na parte da tarde, Libra e Santos  Brasil teriam ficado parados e a BTP trabalhou com apenas alguns estivadores.

Até o dia 28 de fevereiro, os terminais requisitavam 50% dos trabalhadores avulsos e 50% vinculados, ou seja, registrados. Mas uma decisão judicial passou a obrigar as empresas a contratar 100% de trabalhadores com vínculos. Os avulsos recebem salário um pouco maior, pois não têm benefícios.

O Sindicato dos Operadores Portuários do Estado de São Paulo informou que empresas já estão realizando 100% de suas operações com estivadores vinculados, desde o período de trabalho que se iniciou uma hora da manhã de ontem, conforme define o Acórdão do TST de 2015.

O corpo jurídico do Sindicato dos Estivadores informou que foi pautado para o próximo dia 18 de março às 13:30hs, o recurso ordinário do dissídio de 2016. Esse dissídio foi julgado favorável à categoria no TRT - Tribunal Regional do Trabalho, com o resultado  de 7x1, a qual as empresas recorreram ao TST, que irá julgar o recurso das empresas.

Colunas

Contraponto