Fator previdenciário é a “Geni” do sistema, diz ministro

O próprio ministro da Previdência Social, Garibaldi Alves, reconheceu na última quinta-feira, que o Fator Previdenciário, tem que ser substituído por outro mecanismo na concessão das aposentadorias

Comentar
Compartilhar
14 JAN 201322h27

O próprio ministro da Previdência Social, Garibaldi Alves, reconheceu na última quinta-feira, que o Fator Previdenciário, tem que ser substituído por outro mecanismo na concessão das aposentadorias. No entanto, uma solução que beneficie os futuros aposentados ainda é utópica, pois Garibaldi disse também que ainda não há uma definição no Governo sobre essa troca.

O fator previdenciário é um cálculo usado para desestimular o trabalhador a solicitar a aposentadoria de maneira precoce. Com isso, ele contribui por mais tempo, o que influencia a redução do déficit da Previdência Social. A fórmula leva em conta o tempo de contribuição, a idade e a expectativa de vida da população. Quanto mais novo o trabalhador requisitar a aposentadoria somada a uma expectativa de vida alta da população, o valor do benefício será menor.

“O governo ainda não tem uma conclusão, um projeto que leve a essa alternativa tendo em vista que o fator previdenciário representa um ganho de R$ 10 bilhões. Eu acredito que exista alternativa que poupe mais o previdenciário desse sacrifício, que represente o fator, que além do mais, não é muito transparente”, disse após participar do programa de rádio Bom Dia, Ministro, produzido pela Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República (Secom) em parceria com a EBC Serviços.

Durante o programa, numa referência à música de Chico Buarque de Hollanda, Garibaldi afirmou que o fator previdenciário é a “Geni” do sistema previdenciário, visto como “maldito” pela maioria dos aposentados. “Todo mundo atira nesse fator. Só espero não ser atingido. Ele não pode ser substituído simplesmente, precisamos achar uma alternativa melhor ”, disse.