Estivadores e Sopesp negociam convenção coletiva de trabalho

Segundo o diretor de imprensa do sindicato dos trabalhadores, Sandro Olímpio da Silva, a negociação será retomada na primeira ou segunda quinzena de abril

Comentar
Compartilhar
21 MAR 2018Por Da Reportagem22h01
Os estivadores de Santos e o Sopesp negociam convenção coletiva de trabalhoFoto: Divulgação/Paulo Passos

Os estivadores de Santos iniciaram, nesta quarta-feira (21), a negociação da convenção coletiva de trabalho com o sindicato patronal dos operadores portuários do estado de São Paulo (Sopesp).

Segundo o diretor de imprensa do sindicato dos trabalhadores, Sandro Olímpio da Silva ‘Cabeça’, a negociação será retomada na primeira ou segunda quinzena de abril.

Isso porque, num dos primeiros 15 dias de abril, o Sopesp fará assembleia, com os empresários, para deliberar sobre a nova minuta de convenção coletiva que será apresentada aos estivadores.

Na reunião de hoje (21), as partes discutiram sobre as excepcionalidades para a dobra de turno, a garantia de ganho dos trabalhadores e a passagem do cadastrados para o registro no ogmo.

O sindicato dos estivadores propôs que a transferência dos cadastrados no órgão gestor de mão de obra para registro, por ser questão social, seja discutida separadamente da convenção coletiva.

“A medida”, explica Sandro Cabeça, “prevê melhor ganho para os cadastrados e, consequentemente, dignidade às suas famílias. Para que não sofram com a espera, propusemos a discussão em separado”.

Já nesta quinta-feira (22), o presidente do sindicato, Rodnei Oliveira da Silva ‘Nei’, mandará ofício ao Sopesp, requerendo reunião específica sobre os cadastrados.

Pelo sindicato, além dos diretores ‘Cabeça’ e Josué Sampaio ‘China’, participaram da negociação o advogado Renato Ventura e o trabalhador Gilson Santos Pereira, a convite da diretoria.