Estivadores decidem hoje se deflagram nova operação-padrão

A reunião foi convocada com o objetivo de se definir ações urgentes para evitar mais mortes no porto de Santos

Comentar
Compartilhar
27 FEV 201321h34

O Sindicato dos Estivadores deve decidir, nesta segunda-feira, em assembléia, se inicia outra operação padrão de 72 horas ou greve nas margens direita e esquerda do porto de Santos. O presidente do sindicato da categoria, Rodnei Oliveira da Silva, o Nei, disse que aguardaria até o dia de hoje que as ambulâncias e as equipes médicas de pronto atendimento fossem providenciadas pelas autoridades competentes para dar assistências aos trabalhadores portuários avulsos, em área de cais.

As reivindicações também foram feitas na última quinta-feira, ao secretário-adjunto da Secretaria Especial de Portos, José Roberto Serra, em reunião na Codesp, com a diretoria da Autoridade Portuária e operadores. A reunião foi convocada com o objetivo de se definir ações urgentes para evitar mais mortes no porto de Santos. Na ocasião, o secretário-adjunto cobrou da Autoridade Portuária os laudos dos sete trabalhadores mortos no porto, entre dezembro do ano passado e junho deste ano.

A partir desta semana, a fiscalização da segurança será intensificada nos terminais pela comissão formada pelo grupo de trabalho da Secretaria de Portos, Autoridade Portuária, Delegacia Regional do Trabalho, e trabalhadores. Nei afirmou que só acreditará nas diretrizes alinhavadas na reunião com o secretá-adjunto, quando as “providências acontecerem na prática. Precisamos das ambulâncias e das equipes médicas para ‘ontem’”.

Em protesto contra a falta de segurança  no porto, sindicatos dos avulsos, sob a liderança do Sindicato dos Estivadores, promoveram operação-padrão de segunda a quinta-feira, da semana passada. “O movimento diário foi prejudicado em 40%”, disse Nei.