Banner gripe

Estivadores de Santos fazem assembleia e saem em passeata

O impasse entre empresários e trabalhadores continua e a greve está longe de ser encerrada

Comentar
Compartilhar
12 MAR 2019Por Glauco Braga09h00
Os estivadores de santos fizeram ontem uma manifestação em frente à Libra TerminaisFoto: Nair Bueno/DL

A greve dos Estivadores de Santos entra, hoje, no seu 12º dia. A categoria realiza uma assembleia geral na sede, na Rua dos Estivadores, 101 - Paquetá, às 9 horas. Na sequência, os trabalhadores seguem em passeata até a Prefeitura da Cidade, no Centro.

O Sindicato realizou, ontem, mais uma manifestação pacífica em frente à Libra Terminais. Os portuários protestam contra a decisão da Justiça que liberou os terminais de contêineres para contratar 100% de mão de obra vinculada, com registro em carteira.

A categoria quer que as empresas voltem à forma antiga, onde eram contratados 50% de estivadores vinculados e 50% avulsos.

"O real motivo da nossa paralisação por tempo indeterminado, é que a Câmara de Containers não senta para negociar nossas campanhas salariais desde 2015, onde não houve qualquer tipo de negociação durante todos esses anos e, por isso, tivemos que buscar por meio da Justiça nossos dissídios que novamente foram ignorados agora em 2019 em nossa data-base de 1° de março, que prevê em nossa pauta também o percentual de contratação de Estivadores Avulsos e Vinculados o qual eles também não querem sentar para negociar".

"O sindicato enviou somente esse ano duas propostas, as quais não houve nenhuma contraproposta ou tentativa de algum acordo", disse o presidente do Sindicato dos Estivadores, Nei da Estiva.

Os estivadores voltaram a criticar a posição do Sindicato dos Operadores Portuários do Estado de São Paulo (Sopesp) que está arregimentando trabalhadores ligados ao Sindicato dos Trabalhadores de Bloco para atuar nos Terminal de Contêineres, composto pelas empresas Santos Brasil, BTP Terminal, Ecoporto, Embraport e Libra.

 

 

Colunas

Contraponto