Como é aposentadoria nos países avançados

Os sistemas previdenciários na Europa também estão à beira do colapso.

Comentar
Compartilhar
26 JAN 201317h28

Enquanto os brasileiros que se aposentam, em sua maioria com um salário mínimo, vivendo num estado de miserabilidade, em países avançados, a situação é bem melhor que no Brasil. Entretanto, há alguns anos está havendo preocupação devido ao envelhecimento da população .

Estados Unidos, França e Inglaterra, três países de 1º Mundo, considerados eficientes no atendimento aos seus idosos, também estão passando por inúmeras dificuldades em manter a sustentabilidade de seus sistemas previdenciários e dar a assistência satisfatória a seus aposentados e pensionistas. Os valores dos benefícios também estão caindo, e o limite na idade para se aposentar está subindo.

A Previdência Social dos Estados Unidos,, por exemplo, paga aposentadoria e pensões para cerca de 57 milhões de pessoas. Trabalhadores da iniciativa privada, precisam ter pelo menos 65 anos para se aposentar. Para se obter o teto previdenciário, que é de US$ 2.513,00 (Cerca de R$ 5,1 mil) os trabalhadores vão depender do tempo de contribuição e do valor recolhido.

Já a aposentadoria no setor público está passando por uma fase de mudança. A maioria dos servidores públicos recebe ainda pelo sistema antigo, em que o valor máximo chega a 80% da média dos três maiores salários que o trabalhador ganhou durante a vida. Em 2011, o caixa da previdência dos Estados Unidos fechou no vermelho: entre arrecadação e pagamentos, faltou o equivalente a US$ 40 bilhões( cerca de R$ 81 bilhões). Uma das grandes preocupações do Governo americano é com o envelhecimento da população. A previsão é que até 2035, a população de idosos no País deve dobrar. Itália

Defasadas - Aposentadorias no Brasil estão defasadas com perdas de quase 80% no poder de compra dos benefícios. (Foto: Matheus Tagé/ DL)

Na Itália, em que pese o fato do País ter uma dívida publica muito grande, de aproximadamente dois trilhões de euros, as contas da previdência estão equilibradas. O País tem pouco mais de 16 milhões de aposentados e arrecada o equivalente a 200 bilhões de euros por ano, mesmo valor que gasta com o pagamento de benefícios de aposentadorias e pensões. Já a idade mínima para se aposentar é de 65 anos para as mulheres e 66 para os homens.

Preocupação dos governos é evitar colapso

Na França, a recente reforma previdenciária levou o País a uma violenta greve. A idade mínima para se aposentar passou dos 60 para 62 anos. O País possui cerca de 15 milhões de aposentados e o gasto por ano equivale a cerca de 250 bilhões de euros (cerca de R$ 670 bilhões). Para receber o valor do teto previdenciário, o trabalhador tem que contribuir durante 41 anos e meio.

Na Inglaterra Na Inglaterra, as empresas possuem incentivos fiscais para investimentos em previdência privada de seus empregados. Os aposentados possuem uma enorme lista de benefícios, como descontos de até 50% no IPTU, e nas contas de luz, gás, e telefone. E também não pagam para viajar de trem e ônibus. Outro benefício é também o de não pagar médico e hospital, pois o atendimento é de graça.

O Governo tem a preocupação de sempre estar equilibrando a conta previdenciária para que o sistema não entre em colapso. Existe unanimidade no aumento da idade para se aposentar cada vez que a expectativa de vida da população aumenta. Quando isso ocorre o Parlamento é acionado para fazer a a mudança necessária. Atualmente os trabalhadores ingleses se aposentam aos 65 anos (homens) e, as mulheres, aos 61.