Com reuniões em prédios, Assetj prepara Assembleia de abril

Os Servidores do Judiciário de São Paulo ainda não tem notícias sobre o cumprimento da data-base da categoria vencida em 1º de março

Comentar
Compartilhar
18 JAN 201309h28

A última informação, prestada pela assessoria da presidência do TJ, é de que o governador José Serra estaria irredutível sobre uma reposição salarial que, diga-se de passagem, é apenas a recomposição inflacionária determinada pelo Artigo 37, X da Constituição Federal. De lá para cá, não houve nada de novo e uma nova data-base está vencida desde a semana passada.

O índice acumulado já é de, aproximadamente, 19,63% se considerarmos o percentual de 14,69% apurado até fevereiro de 2009, acrescido de mais 4,31% do período de março de 2009 a fevereiro de 2010. Este índice ainda não é oficial, mas foi informado pelo próprio presidente do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo, desembargador Antonio Carlos Viana Santos em reunião com Entidades ocorrida em 14 de janeiro.

Na última quarta (03), o Órgão Especial do TJ paulista deliberou sobre a Comissão Salarial. A comissão anterior foi mantida. Foram reconduzidos os desembargadores Antonio Carlos Malheiros, Urbano Ruiz, Luís Carlos de Barros e Luiz Edmundo Marrey Uint. Foi ainda designado o desembargador Décio de Moura Notarangeli.

Reuniões preparatórias

As entidades representativas de Servidores do Judiciário deram início a uma série de atividades para mobilizar a categoria para a Assembleia Geral Estadual marcada para o dia 14 de abril. Já estão sendo realizados encontros e assembleias em diversas regiões do estado por diversas associações e o sindicato.

A Associação dos Servidores do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo (Assetj), por meio de seu presidente José Gozze, dá início hoje a reuniões nos prédios, não apenas para dar informes sobre a Campanha Salarial mas, principalmente, para conscientizar a categoria da necessidade de participação na Assembleia Geral Estadual marcada para o dia 14 de abril, às 13 horas na Praça João Mendes, centro da Capital.

"A situação é dramática. O quilo de arroz que comprávamos em 2008 virou hoje 800 gramas e a tendência é piorar", opina Gozze. O presidente da Assetj acredita que só por meio da mobilização de todos é que a reposição virá. "Em 2009 trabalhamos muito mas não tivemos êxito. Agora não é o momento de se fazer caça às bruxas para saber o porquê de não ter dado certo. Precisamos trabalhar ainda mais e arcar com todas as consequências para que nossa pauta de reivindicações seja atendida", declara.

O primeiro prédio que será visitado pela Assetj é o Foro Regional de Santo Amaro, na zona Sul da Capital. A visita ocorre nesta terça (09). Amanhã, quarta (10), a visita será feito ao Foro Regional do Jabaquara, também na zona Sul da Capital. Se você estiver interessado em agendar reuniões para o seu prédio / comarca, envie um e-mail para [email protected] Os pedidos serão analisados e, na medida do possível, serão atendidos.

Segundo Gozze a realização da Assembleia em 14 de abril tem um motivo. "A data-base vence em março e deve ser paga em abril. Claro que vamos continuar trabalhando para que haja tal cumprimento. Se não vier, a Assembleia já está marcada para a semana imediatamente posterior ao pagamento".

As entidades reúnem-se, conjuntamente, nesta quarta, 10 de março, às 14 horas para avaliar o movimento e definir as próximas estratégias. A reunião ocorrerá na sede da Assetj.