Brasil é recordista em trabalho doméstico

Estudo da OIT aponta o Brasil como o país que mais emprega trabalhadores domésticos em todo o Mundo.

Comentar
Compartilhar
12 JAN 201316h16

O Estudo sobre Trabalho Doméstico no Mundo, divulgado pela Organização Internacional do Trabalho (OIT), mostra que 93% dos trabalhadores domésticos no Cone Sul (Brasil, Argentina, Uruguai, Chile e Paraguai) são mulheres. Segundo a OIT, a região tem alta incidência de trabalho doméstico, onde o Brasil é o país que mais emprega.

No país, o setor cresceu de 5,1 milhões de trabalhadores, em 1995, para 7,2 milhões, em 2009. Nessa porção da América do Sul, ainda há uma diferenciação entre as mulheres brancas e as negras. A organização usou dados da Pesquisa Nacional de Amostra por Domicílios (Pnad), do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), que indicam que 21,7% de todas as mulheres negras empregadas são domésticas.

No caso de mulheres não negras, o percentual cai para 13%. Os dados da Pnad são usados também como referência aos outros países. O estudo da OIT apontou que as mulheres formam 80% do contingente de trabalhadores domésticos, se considerada média mundial. Se comparadas a outros tipos de trabalho, as atividades domésticas ocupam 3,5% das mulheres em todo o mundo.

O Estudo sobre Trabalho Doméstico no Mundo, mostra que 15,7 milhões de pessoas - quase 30% dos 52,6 milhões de domésticos - estão completamente excluídos de qualquer tipo de cobertura por legislação laboral. De acordo com o estudo, feito em 117 países, apenas 5,2 milhões (10%) dos empregados domésticos têm acesso atualmente à proteção jurídica igual à dos demais.

Amparo - São 7,2 milhões de trabalhadores domésticos no Brasil que lutam por igualdade em direitos trabalhistas. (Foto: ABr)