Bili contorna nova paralisação em São Vicente

Prefeito de São Vicente fez repasse à Termaq; sem pagamento, trabalhadores haviam parado o serviço.

Comentar
Compartilhar
10 JAN 201314h52

O prefeito de São Vicente, Luiz Cláudio Bili (PP), mal resolveu a crise envolvendo o funcionalismo — que recebeu salário normalmente nesta quarta-feira (10) — e já se viu diante de um novo problema: teve que repassar, urgentemente, recursos para a empresa Termaq (que realiza a coleta de lixo na cidade) porque os trabalhadores haviam parado o serviço por falta de pagamento. O recolhimento será reestabelecido hoje.

Segundo a assessoria de imprensa de São Vicente, a administração anterior deixou uma dívida de R$ 25 milhões com a empresa e, agora, a atual administração estuda uma forma de sanar a dívida.

No entanto, segundo nota, referente a nova paralisação, o repasse da Prefeitura permitiu que a empresa regularizasse o pagamento ainda ontem. Somente o vale alimentação está em atrasado — situação seria regularizada nas próximas horas.

Salários atrasados - População poderia ter amargado mais uma greve de coletores. (Luiz Torres/ DL)

Vale lembrar que em 28 de dezembro último, os trabalhadores pararam, permanecendo de braços cruzados até o dia 4 de janeiro. Durante feriadão do Réveillon, a população teve que lidar com lixo espalhado pelas ruas da Cidade. A empresa Termaq tem contrato até 2014 com a Prefeitura.

Após reestabelecer a coleta pós réveillon e “apagar o novo incêndio administrativo”, o prefeito Luiz Cláudio Bili conseguiu resolver a questão da greve dos funcionários, suspensa após pagamento dos salários atrasados.

Embora a Prefeitura tenha depositado os salários ontem, o Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de São Vicente (SindServSV) ainda negocia outras pendências deixadas pela administração anterior. Entre as pendências estão o pagamento das horas extras colocadas em banco de horas, férias que não foram pagas, entre outras.