Ato público de professores

Professores protestam na Capital

Comentar
Compartilhar
03 MAR 201300h27

Professores promovem um ato público unificado do magistério iniciando a campanha para exigir do Governo do Estado, o cumprimento da data-base de 1º de março. A manifestação será na próxima quarta-feira, às 14 horas, na Capital, no Palácio dos Bandeirantes. Participarão da mobilização, o Sindicato das Redes Oficiais de Ensino do Estado de São Paulo (Apeoesp-Baixada), a Associação dos Aposentados do Magistério Público do Estado de São Paulo (Apampesp), União dos Direitos do Ensino Magistério Oficial (Udemo), APASE (Associação Paulista dos Supervisores do Estado) e Centro do Professorado Paulista (CPP).  

A coordenadora regional APEOESP, Célia Amado, explica que a categoria está reivindicando a incorporação das gratificações ao salário “que havia sido prometida pelo governador Mário Covas, que aprovou e depois vetou a incorporação” a revisão salarial até o piso do Dieese — R$ 1.565,61 (janeiro de 2007) —, defasada há 12 anos. Hoje os pisos salariais para jornada de 30 horas são R$ 835,12 (PEB I) e R$ 966,75(PEB II).

A categoria requer ainda a extensão da reposição salarial aos aposentados e a incorporação das gratificações e bônus e a correção das distorções das leis 836 (plano de carreira) e 958 (escala de vencimentos).

Célia afirma que a verba orçamentária para a Educação prevista para 2007 é de R$ 8,84 milhões, 3,1% a mais que o repasse do ano passado. “Falta vontade política para a correção salarial dos professores e para a melhora da qualidade do Ensino público”.