Aposentados vão hoje ao Senado pedir CPI da previdência

Com apoio de 45 senadores, a Confederação Brasileira de Aposentados vai protocolar hoje pedido da CPI, às 15 horas, no Senado

Comentar
Compartilhar
21 MAR 2017Por Francisco Aloise 10h50
Os aposentados vão entrar hoje com pedido da instalação de uma CPI da Previdência SocialFoto: Agência Brasil

Os aposentados vão entrar hoje com pedido da instalação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Previdência Social. Com 45 assinaturas de apoio de senadores, a Confederação Brasileira de Aposentados (Cobap) vai solicitar, às 15 horas, a instalação da CPI. Antes, na parte da manhã, a entidade participa de uma audiência pública sobre o assunto, no próprio Senado.

O presidente da entidade de aposentados, Warley Martins, contesta os números apresentados pelo Governo sobre o deficit da Previdência e diz que eles não retratam a realidade. Segundo a Cobap, o Governo está fazendo terrorismo com os aposentados, ao dizer que eles podem ficar sem pagamento de seus benefícios no futuro devido à situação deficitária do INSS.

Com um estudo feito  por auditores fiscais federais, a entidade diz que existe superavit nas contas da Previdência e que houve desvio de mais de R$ 426 bilhões dos cofres do INSS, que a CPI vai levantar para onde foi desviado o dinheiro e mais que isso: quem desviou e para qual finalidade.

“Vamos realizar uma verdadeira “devassa” na contabilidade do setor previdenciário brasileiro. A principal função da investigação é descobrir se há desvios de dinheiro, corrupção, roubo e quem são os grandes devedores do sistema”, diz Warley.

A Cobap conta com o apoio do senador Paulo Paim (PT/RS) que, inclusive, encabeça a lista de assinatura da CPI da Previdência Social. Paim também enfatizou que existe uma dívida de R$ 426 bilhões para com os cofres da Previdência.

Warley lembra que a CPI “vai abrir a “caixa preta” após 92 anos de dinheiro desperdiçado no INSS que é fruto do trabalho de milhões de brasileiros”.

Para se pedir a CPI eram necessárias apenas 27 assinaturas de senadores. Até por volta do meio-dia de hoje, a Cobap espera mais cinco novas adesões à sua lista de apoio. para enviar o documento à Secretaria do Senado Federal. E diz: “Será uma data que ficará registrada nos anais da história do Brasil”.

Adesões- Na última sexta-feira, com adesão de três senadores do PMDB, o presidente da Cobap comemorou o sucesso da iniciativa. “Tudo conspira contra essa maldita reforma. É a mão de Deus que vai nos ajudar a combater as futuras injustiças”, disse Warley Martins, presidente da Cobap e idealizador da CPI.

“A adesão de senadores do PMDB e de outras legendas governistas à CPI é um sinal claro que a reforma previdenciária vem perdendo força no Congresso Nacional e não será empurrada goela abaixo. O Brasil está acordando. Não queremos nenhuma reforma, nem emendas. Respeitar a Constituição é o bastante”, declarou Warley.

Com a instalação da CPI no Senado, é grande a possibilidade da investigação interromper a tramitação da PEC 287 ou até mesmo engavetá-la, pois acredita-se que muitas falcatruas serão levantadas no INSS.

Audiência Pública- O Senado promove hoje, a partir das 9 horas, uma audiência pública envolvendo a instalação da CPI solicitada pela COBAP.