Aposentadorias: Benefícios rebaixados ao mínimo

Cerca de 160 mil aposentados passam a ter seus benefícios nivelados ao salário mínimo.

Comentar
Compartilhar
14 JAN 201315h04

Aproximadamente 160 mil benefícios foram rebaixados e igualados ao salário mínimo em 2013, de acordo com estimativas do próprio Ministério da Previdência Social e de entidades de aposentados.

O fato deve-se ao reajuste maior dado ao salário mínimo enquanto os benefícios acima do piso nacional foram reajustados sem aumento real, recebendo apenas o índice da inflação de 6,2%.

Há dois anos sem aumento real, os benefícios vem sendo achatados para baixo. Em dezembro de 2012, o salário mínimo era de R$ 622,00, e portanto, os aposentados que ganhavam   acima do piso valores de até R$ 638,72, passam a ter neste mês, o mesmo valor do salário mínimo de R$ 678,00.

Líderes de aposentados estão se mobilizando para pressionar deputados e senadores a buscarem uma alternativa para obter um aumento real para os benefícios acima do piso nacional, pois acreditam que do jeito que as coisas estão caminhando, dentro de mais alguns anos quase todos os aposentados que se aposentaram nos últimos 15 anos estarão nivelados no salário mínimo.

Para Antonio Carlos Domingues da Costa, presidente da Associação Nacional dos Aposentados, Pensionistas e Idosos (Anapi), “os aposentados estão de mãos atadas porque o Governo não quer negociar com a categoria um aumento real e muito menos a recuperação de parte das perdas que se acumulam ao longo dos últimos anos”. E conclui: “Nós lamentamos, mas só tem um caminho e ele nos leva à Justiça em busca da garantia dos nossos direitos”.

Aposentados acumulam perdas  nos benefícios acima do salário mínimo (Foto: Matheus Tagé/DL)

Manifestação

Para o presidente da Confederação Brasileira de Aposentados e Pensionistas (Cobap), Warley Martins, é cada vez mais gritante o abandono do atual governo com o segmento. “Conquistamos durante o Governo Lula um índice acima da inflação para os benefícios acima do mínimo. É uma crueldade a atual presidente não dar continuidade a essa conquista, disse. “De qualquer forma seguiremos em manifestações no Brasil e iniciaremos tentativas de negociação política”. E conclui: “Vamos pressionar parlamentares em Brasília em busca de emendas com  reajuste maior”.

João Inocentini, presidente do Sindicato Nacional dos Aposentados e Idoso (Sindnapi), prepara uma grande manifestação de protesto em São Paulo, no próximo dia 24, Dia Nacional dos Aposentados. “O Governo dá dinheiro para empresários, enquanto o trabalhador perde até 45% da sua renda ao se aposentar pelo Fator Previdenciário”, . E conclui”Estamos perdendo o poder de compra”.