Vacinação contra a gripe é prorrogada até o final de maio no Estado de SP

A iniciativa é da Secretaria Estadual da Saúde, que resolveu bancar com recursos próprios mais 1,94 milhão de doses para imunização do público-alvo

Comentar
Compartilhar
20 MAI 2016Por Folhapress17h00
Vacinação contra a gripe é prorrogada até o final de maio no Estado de SPVacinação contra a gripe é prorrogada até o final de maio no Estado de SPFoto: Divulgação

A campanha de vacinação contra a gripe, que acabaria nesta sexta-feira (20), foi prorrogada no Estado de São Paulo até o dia 31 de maio. A iniciativa é da Secretaria Estadual da Saúde, que resolveu bancar com recursos próprios mais 1,94 milhão de doses para imunização do público-alvo: crianças de até 5 anos, idosos, grávidas e pessoas com doenças crônicas.

Na quinta-feira (19), a secretaria já tinha anunciado que iria garantir a segunda dose da vacina para crianças que precisam de duas para estarem imunizadas -aquelas com mais de seis meses que estão recebendo a vacina da gripe pela primeira vez. A medida da pasta levou em consideração queixas de usuários de postos de saúde de falta da vacina mesmo antes do fim da campanha oficial.

De acordo com a secretaria, "todas as regiões do Estado serão beneficiadas, porém, serão priorizados os municípios que ainda não atingiram a meta de imunizar 80% do público-alvo". Embora a capital tenha atingido marca acima do plano (99,3%), 705.000 doses serão destinadas para a cidade e para a Grande São Paulo.

As aplicações começam na segunda-feira (23). Desde o dia 4 de abril, cerca de 10,1 milhões de pessoas já foram imunizadas contra a gripe no Estado. A meta visava vacinar 9,5 milhões de paulistas.

A vacina aplicada na rede pública é a trivalente, que protege contra três tipos do vírus, inclusive o H1N1, o que tem causado mais problemas de saúde na população. Na rede particular, que cobra, em média, R$ 150 pela vacina, a imunização costuma ser tetravalente, protegendo contra quatro vírus.

Segundo o último boletim epidemiológico do Ministério da Saúde, o país registrou até agora 2.375 contaminações por influenza A (H1N1), sendo 470 óbitos. Em São Paulo foram 1.209 vítimas da gripe A, com 233 mortes.