Vacina contra o novo coronavírus pode nunca existir, afirma diretor da OMS

Segundo Tedros, as imunizações que estão sendo testadas podem não funcionar ou podem oferecer proteção apenas por alguns meses

Comentar
Compartilhar
03 AGO 2020Por Gazeta de S. Paulo21h00
A OMS, mais uma vez, reforçou a necessidade de aplicar o conjunto das medidas disponíveis que funcionam para suprimir a transmissão do novo coronavírusFoto: Divulgação/World Health Organization

Nesta segunda-feira(3), o diretor-geral da Organização Mundial Saúde (OMS), Tedros Adhanom Ghebreyesus, afirmou que a cura ou uma vacina contra o novo coronavírus (Covid-19) talvez não se tornem realidade. Tedros disse que as imunizações que estão sendo testadas podem não funcionar ou podem oferecer proteção apenas por alguns meses.

Até o momento, de acordo com a OMS, 25 vacinas já estão sendo testadas em seres humanos, sendo 6 delas na chamada fase 3 - os últimos ensaios antes da conclusão.

“Não existe bala de prata no momento e talvez nunca exista”, disse o diretor-geral.

“Há preocupação de que talvez não tenhamos uma vacina que funcione. Ou que a proteção oferecida possa durar apenas alguns meses, nada mais”. Tedros declarou que não é possível saber até que se concluam os testes. No entanto, disse que ainda existe esperança e que os estudos estão sendo desenvolvidos a uma velocidade sem precedentes.

A OMS, mais uma vez, reforçou a necessidade de aplicar o conjunto das medidas disponíveis que funcionam para suprimir a transmissão do novo coronavírus até que haja uma vacina ou remédio.

A organização indica que países façam a identificação dos casos, rastreamento de contatos e isolamento de quem está infectado. Para indivíduos, recomenda o distanciamento social, a higienização das mãos com constância, o uso de máscaras onde apropriado e cobrir nariz e boca quando espirrar ou tossir.

'Com informações de Estadão Conteúdo'