Usafas atendem pacientes com suspeita de Dengue em horário especial

Unidades funcionam sem intervalo de almoço em Praia Grande. Até o momento, o Município conta com 255 casos confirmados de dengue

Comentar
Compartilhar
14 MAR 201310h41

As Unidades de Saúde da Família (USAFAs) de Praia Grande já funcionam em esquema especial para atender pacientes com suspeita de dengue. Além de novo horário de funcionamento – das 7h30 às 17 horas, sem pausa para almoço -, as Usafas estão seguindo um protocolo especial de triagem, com o objetivo de desafogar os pronto-socorros e agilizar o atendimento deste tipo. Até o momento, o Município conta com 255 casos confirmados de dengue.

O assessor técnico da Secretaria de Saúde Pública (Sesap) de Praia Grande, Dr. Sérgio Paulo de Almeida Nascimento, explica que as unidades seguem um protocolo de classificação dos pacientes por nível de gravidade, que vai do A, para os casos sem gravidade, ao C para os que exigem atenção especial. “Ao chegar na USAFA, o paciente é acolhido e analisado pelos profissionais da unidade. Aqueles classificados como A, que são casos mais leves, são tratados e acompanhados na própria unidade, o que desafoga o atendimento nos pronto-socorros”.

Casos classificados com B são encaminhados às unidades de urgência e emergência. Para os casos C, que classificam pacientes mais graves, que apresentem desmaios e desidratação, por exemplo, as Usafas estão instruídas a acionar o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU), que removerá o paciente até o pronto-socorro mais próximo. O mesmo acontece com pacientes menos graves que evoluírem para estágios mais avançados. “A vantagem nesses casos é que o paciente será encaminhado à outra unidade com um histórico detalhado de sua evolução, feito na Usafa. Isso com certeza facilita o tratamento”, pontua o Dr. Sergio.

Para garantir que o atendimento a casos de dengue seja eficaz no Município, técnicos das áreas envolvidas no esquema especial se reúnem quinzenalmente na chamada “Sala de Situação”, do Departamento de Vigilância Epidemiológica. Ali, profissionais das áreas de assistência, planejamento, farmácia, administração, vigilância epidemiológica e sanitária avaliam a demanda de atendimentos a casos de dengue e adéquam às ações de modo a supri-las.

Prevenção

Sabendo que a Secretaria de Saúde do Estado já considerava que 2013 seria um ano epidêmico de dengue, desde 2012 Praia Grande vem se estruturando para combater o aedes aegypti. Além de quatro novos veículos (três peruas kombis e um Gol), que foram entregues no último dia 26 ao Município, foram adquiridas máquinas para nebulização e roupas especiais. A Sesap também investiu na atualização de seus profissionais, e em fevereiro deste ano realizou um ciclo de palestras envolvendo mais de 900 funcionários da rede de saúde municipal, entre agentes, enfermeiros e médicos.

Nos dias 21 e 22 de fevereiro, o Município realizou um mutirão, com mais de 100 servidores municipais, caminhões, retroescavadeiras e outros veículos pesados, que percorreram os bairros Caieras, Quietude e Esmeralda. Foram recolhidas mais de 10 toneladas de materiais inservíveis, e mais de 2.500 residências foram visitadas em busca de focos do mosquito. Outros mutirões devem acontecer nos próximos dias.

Atualmente, a Sesap executa os trabalhos de Bloqueio de Nebulização, conhecidos popularmente como “fumacê”. A nebulização acontecerá primeiro nos bairros mais críticos: Caieiras, Quietude e Esmeralda, e na sequência será estendida à todos os bairros de Praia Grande.

Usafas estão seguindo um protocolo especial de triagem (Foto: Divulgação)

Combate

Para evitar a proliferação do mosquito, a população deve se prevenir, adotando pequenos costumes em casa, como evitar acúmulo de entulhos e lixos no quintal. Ao contrário do que muitos imaginam, o mosquito também reproduz em água suja.

Tratar a água da piscina com cloro e limpá-la uma vez por semana é outra ação importante, e se não for usá-la, deve-se cobri-la bem. Se estiver vazia, a dica é que se coloque 1 quilo de sal no ponto mais raso.

Outras ações simples, que devem fazer parte da rotina da população são as seguintes: se tiver cacos de vidro nos muros, deve-se colocar areia em todos aqueles que possam acumular água; entregar pneus velhos aos serviços de limpeza urbana e caso realmente precise mantê-los, guardá-los em local coberto; garrafas de vidro devem ser depositadas com a boca para baixo; manter ralos fechados e verificar regularmente se não há entupimento; retirar sempre a água da bandeja externa das geladeiras e lavá-la bem com água e sabão. Lave bem também os suportes para galões de água, sempre que for trocar o garrafão.

Doença

A dengue é uma doença febril aguda causada por um vírus de evolução benigna, na maioria dos casos. A transmissão não ocorre de pessoa para pessoa. Seu principal vetor é o mosquito aedes aegypti, de aparência semelhante ao pernilongo.