UPAs voltarão a ter triagem de pacientes covid-19 nas áreas externas em Santos

A partir da próxima sexta (27), as três Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) de Santos voltam a contar em suas áreas externas com centros de triagem exclusivo para pessoas com sintomas da covid-19

Comentar
Compartilhar
22 NOV 2020Por Da Reportagem20h27
Foto: DIVULGAÇÃO

A partir da próxima sexta (27), as três Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) de Santos voltam a contar em suas áreas externas com centros de triagem exclusivo para pessoas com sintomas da covid-19. A medida visa ampliar o fluxo de separação destes pacientes dos demais diante do aumento da procura nas últimas semanas.

Na UPA Central, que tem o maior volume de atendimentos entre as três unidades de urgência e emergência (média de 450 por dia), 60 pacientes com quadro de covid-19 procuravam diariamente a unidade no mês passado. Em novembro, a média diária é de 100 pacientes – aumento de 66%. Já na UPA Zona Leste, são cerca de 90 pacientes covid-19 por dia e, na UPA Zona Noroeste, 40.

“Tendo em vista o aumento do número de casos, vamos retomar os centros de triagem, garantindo atendimento mais rápido e eficiente aos pacientes com covid, em uma importante ação de enfrentamento”, afirmou o prefeito Paulo Alexandre Barbosa, durante transmissão ao vivo pelas redes sociais, na noite deste domingo (22).

Os centros de triagem funcionarão 24 horas em frente às UPAs Central (Rua Joaquim Távora, 260, Vila Mathias), Zona Noroeste (Av. Jovino de Melo, 927, Areia Branca) e Zona Leste (Praça Visconde de Ouro Preto s/n°, Estuário). As estruturas modulares começam a ser montadas nesta segunda (23) com término previsto até quinta (26). O investimento do Município será de R$ 62 mil/mês pelas locações. 
 
CONDESB – Durante a transmissão ao vivo nas redes sociais, o prefeito Paulo Alexandre Barbosa também afirmou que convocará reunião, nesta semana, com os demais prefeitos da região, para adotar medidas conjuntas para enfrentamento à doença. 

“Quanto mais consciência coletiva a gente tiver, menos restrições teremos. Os casos estão aumentando e precisamos evitar o avanço da pandemia”, disse ele, que também é presidente do Conselho de Desenvolvimento da Região Metropolitana da Baixada Santista (Condesb).