Trabalho de prevenção contra a dengue será mantido em Itanhaém

Dos 109 casos notificados como suspeitos da doença, apenas oito foram confirmados em 2012

Comentar
Compartilhar
15 FEV 201320h29

As ações educativas e os mutirões de agentes de saúde no combate a dengue serão mantidos nos próximos meses, mesmo com a redução da incidência de casos na Cidade registrada em 2012. A meta é procurar eliminar possíveis focos de criadouros do mosquito Aedes Aegypti, causador da doença.

Os esforços se concentrarão na escala de trabalho dos Agentes de Endemias e nas ações educativas nas escolas da rede, além dos já citados mutirões nos bairros.

Os dados estatísticos de Itanhaém apontaram somente oito casos confirmados durante todo o ano de 2012. Esse número ajudou o Estado de São Paulo a obter uma queda de 75,5% de casos da doença nesse mesmo período em relação ao ano de 2011.

Em Itanhaém, foi realizado um trabalho de prevenção nas escolas como o concurso de maquetes “Minha Casa sem Dengue”, entre outras atividades educativas. Mutirões de limpeza foram feitos nos bairros em que houve registros de casos suspeitos, no qual também os moradores foram orientados sobre as formas de cuidar da residência.

Na Semana de Mobilização Contra a Dengue, realizada em novembro de 2012, houve visita dos profissionais do setor nas escolas e distribuição de material informativo em pontos estratégicos do Município. Funcionários da Secretaria de Saúde, com o apoio da população, deram um abraço simbólico em volta do Museu de Conceição de Itanhaém para lembrar a importância de eliminar os focos do mosquito na Cidade.

A população deve continuar atenta, fazendo o possível para eliminar os possíveis focos do mosquito nas residências (Foto: Divulgação)

Há também uma integração do setor de Combate á Dengue com o Departamento de Limpeza e com os Agentes Comunitários de Saúde, que também são responsáveis por orientar os moradores.

Os Agentes de Endemias sempre trabalham devidamente uniformizados e com crachás de identificação. Com a visita dos agentes, o morador poderá obter mais informações sobre as medidas preventivas a serem adotadas.

A ação preventiva vem sendo estimulada pelo Governo Federal. O secretário de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde, Jarbas Barbosa, explica que no período de dezembro a maio, a população deve redobrar os cuidados com suas casas, verificando o armazenamento adequado de água, o acondicionamento do lixo e a eliminação de todos os recipientes sem uso que possam acumular água e virar criadouros do mosquito.

Sintomas

Aos primeiros sintomas da dengue (febre, dor de cabeça, dores nas articulações e no fundo dos olhos), a recomendação é que a pessoa procure o serviço de saúde mais próximo. É fundamental não tomar remédio por conta própria, devendo ainda ficar alerta para sinais de agravamento, como vômitos e dores abdominais. É recomendado a ingestão de líquidos, como água, sucos ou chás, até que seja atendida por um profissional da saúde. O consumo de um medicamento inadequado, como a aspirina ou o ácido acetilsalicílico (AAS) pode contribuir para agravar o quadro do paciente.

A dengue é um dos principais problemas de saúde pública no mundo. A Organização Mundial de Saúde (OMS) estima que entre 50 a 100 milhões de pessoas se infectem anualmente, em mais de 100 países, de todos os continentes, exceto a Europa. Cerca de 550 mil doentes necessitam de hospitalização e 20 mil morrem em consequência da dengue.