Tossir pode ser bem mais que uma alergia

A tosse é um mecanismo de defesa do corpo, que, como reflexo, tenta expulsar qualquer elemento que esteja causando uma possível inflamação ou irritação

Comentar
Compartilhar
28 OUT 201310h57

Responsável pela defesa do organismo contra algo de errado no aparelho respiratório, a tosse é uma das principais causas de busca aos consultórios médicos e emergências de todo país. Tossir é um mecanismo de defesa do corpo, que, como reflexo, tenta expulsar qualquer elemento que esteja causando uma possível inflamação ou irritação. A tosse tem a função de proteger o pulmão, mas nem sempre sua origem é facilmente detectada, já que pode ser desencadeada por diferentes fatores.

Segundo o Coordenador Técnico do Projeto Social Brasil Sem Alergia, o médico Marcello Bossois, o problema está muito relacionado a algumas doenças de fundo alérgico. Um bom exemplo é a asma, uma doença inflamatória muitas vezes motivada por processos de alergia, que tem a tosse como grande vilão de seus pacientes. “A tosse persistente (por mais de três semanas) é sintoma freqüente entre os asmáticos, desconforto que pode surgir sem qualquer outro sintoma tradicional da doença, como chiado no peito e sensação de aperto no tórax”, comenta Dr. Bossois. Ela pode piorar à noite e após esforços físicos mais intensos. “É importante manter o asmático distante de ambientes que possam ser alergenos, minimizando o surgimento dos problemas. Como tratamento, a fisioterapia respiratória é uma boa aliada para combater os sintomas da doença”, completa o médico.

De acordo com o Ministério da Saúde, a asma atinge cerca de 10% da população mundial. No Brasil, estima-se que um em cada cinco brasileiros tenha a doença, o que gera a internação, só no SUS, de 350 mil pessoas por ano.

Outros tipos de alergias que podem provocar aquela tosse indesejada são a rinite e a sinusite, sendo que muitos casos de rinites podem, em determinadas circunstâncias, migrar para um quadro da outra doença. Como se já não bastassem a coriza, coceira na garganta, espirro e nariz entupido, esses alérgicos precisam conviver constantemente com a tosse alérgica. “Na rinite, especialmente, a tosse funciona como um mecanismo orgânico com o objetivo de expelir alguma partícula alergena, como a poeira, por exemplo”, diz Marcello.

A tosse é uma das principais causas de busca aos consultórios médicos (Foto: Divulgação)

Existem diferentes tipos de tosse que são causadas por fatores distintos. Enquanto a tosse alérgica é uma resposta vital para o combate ao processo alérgico que se manifesta a partir da exposição a um determinado componente, a tosse seca, em muitas vezes, pode aparecer pela aspiração de corpos estranhos, por exemplo, algo muito comum entre as crianças. “Pequenos objetos que elas colocam na boca podem seguir caminhos errados.

Tais partículas podem ir para o sistema respiratório, o que poderá causar uma grave obstrução dos brônquios, e essa aspiração requer um socorro imediato”, recomenda o alergista.      

Mas outros fatores podem ser responsáveis pelo surgimento da tosse, que pode ter seu diagnóstico a partir de um exame de raio-x do tórax. O refluxo esofágico é um dos principais causadores da tosse durante a noite. As causas do refluxo são multifatoriais e seus maiores problemas acontecem após as refeições ou quando o corpo está deitado (à noite). Para diagnosticar a doença, o médico pode pedir alguns exames, como a PHmetria esofagiana ou a endoscopia digestiva. No Brasil, cerca de 35 milhões de pessoas de todas as idades têm refluxo.

A tuberculose ainda afeta milhares de pessoas ano a ano, e estima-se que aproximadamente 70 mil novos casos sejam diagnosticados até o fim de 2013. Seu sintoma mais clássico é uma tosse aguda, que torna-se persistente, se não tratada. Perda de peso, falta de apetite, febre e suor durante a noite também são características que marcam seus pacientes. O tratamento é feito à base de antibióticos, dura seis meses, mas nem sempre é eficaz. “Por ser um tempo longo, muitos desistem no meio do caminho, favorecendo o aparecimento de super bactérias multirresistentes. Mas é importante que o paciente obedeça aos seis meses de tratamento”, diz Dr Bossois

Os tabagistas são outras grandes vítimas da tosse persistente. Em geral, eles acham que a tosse é um resultado natural da utilização do cigarro, mas que um dia vai passar. Infelizmente, em boa parte dos casos não é assim que acontece: a tosse não cessa, ao contrário,  tende a piorar. Esse sintoma já aparece como reflexo das DPOCs ( doenças pulmonares obstrutivas crônicas ), patologias muito comum entre fumantes e que afeta diretamente o sistema respiratório desses pacientes.

O problema não para por aí: de acordo com o Coordenador do Projeto Social Brasil Sem Alergia, outras doenças e acontecimentos podem acabar provocando acessos de tosse. A pneumonia, o uso de determinados medicamentos, como para controle da pressão arterial, por exemplo, má ingestão de algum alimento ou até câncer podem desencadear o desconforto da tosse. “Recebo quase que diariamente, no nosso Projeto Social, pacientes se queixando de tosse constante. Ao analisá-los, no entanto, percebo que uma grande parte dos casos não é alergia, ao contrário do que o paciente pensa”, menciona Dr Marcello Bossois.