X
Saúde

Sobe para dez o número de mortes de macacos por febre amarela em SP

O balanço contabiliza mortes registradas desde outubro deste ano quando a confirmação de que a morte de um primata foi causada pelo vírus fez com que o Horto Florestal

Em todo o Estado de São Paulo, entre julho de 2016 e novembro deste ano, foram registrados 1.734 casos de mortes ou adoecimento de macacos / Reprodução EPTV

O número de casos confirmados de macacos que morreram infectados pela febre amarela na capital paulista subiu de quatro para dez, segundo a Secretaria Municipal do Verde e do Meio Ambiente. O balanço contabiliza mortes registradas desde outubro deste ano, quando a confirmação de que a morte de um primata foi causada pelo vírus fez com que o Horto Florestal e o Parque Estadual da Cantareira, na zona norte da capital, fossem fechados.

De acordo com a pasta, foram encontrados 127 animais mortos deste outubro e houve confirmação em dez casos. Até o início deste mês, tinham sido contabilizados quatro casos confirmados e 69 mortes.

O Horto Florestal e o Parque Estadual da Cantareira, além de 13 parques municipais, estão fechados. Na zona leste, o Parque Ecológico do Tietê também teve visitação suspensa.

Em todo o Estado de São Paulo, entre julho de 2016 e novembro deste ano, foram registrados 1.734 casos de mortes ou adoecimento de macacos, dos quais 399 tiveram confirmação para a doença - 82% na região de Campinas, no interior paulista.

Neste ano, até o início desde mês, foram registrados 23 casos autóctones da doença em humanos e dez pessoas morreram, segundo dados da Secretaria de Estado da Saúde. Na capital, não há registro de casos autóctones em humanos.

 

 

Deixe a sua opinião

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Polícia

Suspeito de participação no assassinato de policial militar de Praia Grande é preso

Uma equipe de Patrulhamento de Ações Especiais da PM recebeu a informação de que um carro da marca Volvo, flagrado na cena do crime, estava circulando por Santo André com destino a cidade de Ribeirão Pires

Política

Amigo de Bolsonaro confirma 'rachadinha', mas nega após telefonema do presidente

Depois de ter recebido o telefonema de Bolsonaro, Waldyr negou conhecer qualquer esquema nos gabinetes da família

©2021 Diário do Litoral. Todos os Direitos Reservados.

Software