São Vicente atinge a triste marca de mil mortos pela Covid-19

Município soma 1.007 vítimas fatais da doença e segue fiscalizando com rigor o descumprimento das normas sanitárias

Comentar
Compartilhar
20 JUN 2021Por Da Reportagem20h13
Foto: Ricardo Moraes/AB

Este domingo (20) é mais um dia triste para São Vicente em meio à pandemia. Isso porque a Cidade chegou ao número de 1.007 pessoas que perderam a batalha para a Covid-19. 

Quando assumiu no início deste ano, a atual gestão se deparou com um número reduzido de leitos covid no Município, apenas 19. Para piorar, uma enorme dívida foi deixada, tornando a missão de melhorar a Saúde de São Vicente ainda mais difícil. Mesmo assim, com muito esforço o número foi ampliado para 47 leitos, sendo 10 de UTI e 37 de enfermaria, incluindo a reativação da Ala Covid Municipal, dentro do Hospital São José. 

A Administração Municipal ainda tenta, junto ao Governo do Estado, a ativação do PS da Linha Vermelha, unidade que foi construída pela antiga gestão, sem qualquer planejamento orçamentário. A sugestão do prefeito Kayo Amado é que o Estado custeie a unidade, que possibilitaria a ampliação de mais 60 leitos covid, que atenderiam vicentinos e toda a Baixada Santista. 

Vacinação 

A luta é difícil, mas a Prefeitura de São Vicente tem empenhado todos os esforços com o objetivo de vacinar toda a população, entendendo que a imunização é a principal arma hoje disponível para salvar vidas e fazer o país vencer a doença. 

Até o momento, mais de 138 mil doses da vacina contra a Covid-19 foram aplicadas no Município, que vem antecipando sempre que possível o calendário e os públicos-alvo, resultado de um planejamento criterioso. Vale ressaltar que, em nenhum momento, a Cidade sofreu com falta de vacinas. São Vicente dispõe de 26 postos fixos e uma unidade móvel para a vacinação, além de dois locais com sistema drive-thru. 

Fiscalização

Há mais de um ano os brasileiros enfrentam a pandemia, uma luta que depende das ações do poder público e também da conscientização a população.

Infelizmente, muita gente ainda insiste em desrespeitar protocolos já bastante divulgados de cuidados contra o coronavírus.