PS Central de PG passa a atender urgência e emergência pediátrica

Serviço, que só era acessível no PS Quietude e UPA, deve começar a funcionar em março

Comentar
Compartilhar
04 FEV 201315h03

Atendendo às muitas reclamações de munícipes, a Secretaria de Saúde Pública (Sesap), a pedido do prefeito Alberto Mourão, determinou que o Pronto-Socorro Central de Praia Grande, no Bairro Boqueirão, inicie o atendimento de Urgência e Emergência Pediátrica. A unidade, junto com o Hospital Municipal, integra o Complexo de Saúde Irmã Dulce. Os novos serviços terão início no próximo mês.

Com o PS Central, Praia Grande passará a contar com três equipamentos para o serviço de urgência e emergência pediátrica: o PS Quietude, no bairro de mesmo nome, e a Unidade de Pronto Atendimento Doutor Charles Antunes Bechara, no bairro Samambaia.

Segundo o secretário de Saúde Pública, Francisco Jaimez Gago, está será uma das primeiras e importantes ações da sua pasta. “A Administração Municipal tem como uma de suas principais metas oferecer melhor atendimento possível na área da saúde. A urgência e emergência pediátrica no PS Central era um anseio antigo da população”, disse.

O secretário informou ainda que, neste primeiro momento, os atendimentos pediátricos, provenientes de emergências recebidas pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) 192, serão encaminhados ao PS Quietude. A medida será tomada por conta da construção da nova sala de emergência do PS Central, bem mais ampla e totalmente remodelada. A obra deve ser finalizada nos próximos meses.

Serviço deve começar em março (Foto: Divulgação)

Conforme o médico Manuel Nunes Cardoso Neto (assessor técnico da Sesap), o setor contará com dois médicos pediatras. “Foram 12 mil atendimentos de crianças em Pronto-Socorros no último ano. Com esse terceiro ponto, voltado a procedimentos de urgência e emergência, teremos maior agilidade”, estima.

Mudanças 

Rapidez no atendimento, organização dos fluxos e novos serviços marcaram as primeiras mudanças no Pronto-Socorro Central desde que a Fundação do ABC (FUABC) assumiu sua gestão, em abril de 2011. Ligada à Faculdade de Medicina do ABC, a FUABC gerencia o Hospital Municipal Irmã Dulce desde 2008 e, neste ano, passou também a responder pela UPA.

Por ser complexa, a obra de reestruturação do PS Central foi dividida em etapas. A fase inicial compreendeu nova recepção e área de espera, com ouvidoria integrada e espaço lúdico para crianças; climatização do ambiente, com cortina de ar na porta de entrada; reparos elétricos e hidráulicos; pintura e manutenção, além de televisor e sistema eletrônico de chamada.

Risco

Para priorizar os casos mais graves que chegam pela recepção, a unidade passou a atender pelo sistema de Acolhimento com Classificação de Risco. Após escuta e checagem dos sinais vitais, a enfermagem sinaliza aos médicos nas fichas de atendimento, por meio de cores, o grau de gravidade dos pacientes: vermelho para emergências (que necessitam de atendimento imediato); amarelo para urgências (o mais rápido possível); verde para consultas não urgentes (podem aguardar um tempo maior); azul para consultas de baixa complexidade (serão atendidos após os anteriores).

Casos mais graves, em que há risco de complicações e morte, são atendidos primeiro. O atendimento aos pacientes que chegam à sala de emergência pelo SAMU é imediato. Os demais casos, como os ambulatoriais, precisam aguardar.