Projeto Viva Melhor traz novo teste de AIDS para a Baixada nesta quinta

O teste será realizado na sede da entidade e numa viatura móvel do GAPA/BS. O primeiro mutirão será no dia 10, às 22h na Praia do Itararé, em São Vicente

Comentar
Compartilhar
07 ABR 201414h33

O GAPA/BS em parceria com o Ministério da Saúde irá realizar o projeto Viva Melhor, que traz um novo teste rápido de detecção do HIV/AIDS por fluido oral para gays e HSH (homens que fazem sexo com homens). O teste é um método simples e de fácil execução, cujo resultado sai em 20 minutos, com 99% de confiabilidade. As pessoas que tiverem resultado reagente são encaminhadas para a Unidade de Saúde de Referência no tratamento da doença e além de iniciar o tratamento  já recebe os remédios, tudo de forma gratuita.

O teste será realizado na sede  da entidade e numa viatura móvel do GAPA/BS. O primeiro mutirão será no dia 10, às 22h, no Quiosque da Cris, na Praia do Itararé, em São Vicente.

Já, a partir do dia 09, das 9 ás 14h, as equipes dods técnicos do Ministério da Saúde, da Fundação Oswaldo Cruz e do GAPA/BS estarão reunidos na sede da entidade, Rua Colombia, 44, Santos.

No dia 10, às 10h, o GAPA BS convidou todos os secretários de saúde para conhecerem o projeto. O encontro será na sede da entidade.

O GAPA/BS em parceria com o Ministério da Saúde irá realizar o projeto Viva Melhor, que traz um novo teste rápido de detecção do HIV/AIDS por fluido oral (Foto: Divulgação)

O que é o teste do fluido oral? 

O fluido do teste oral é extraído da gengiva e o começo da mucosa da bochecha com o auxílio da haste coletora. A tecnologia dos testes rápidos foi desenvolvida pelo Instituto de Tecnologia em Imunobiológicos da Fundação Oswaldo Cruz (Bio-Manguinhos/Fiocruz). O kit contém uma haste coletora descartável (swab) - de uso único – para obtenção de fluido oral; um frasco com solução, no qual é colocada a haste coletora após a obtenção da amostra; um frasco com o tampão de corrida de reação; um suporte plástico de teste, em que é ocorrerá a reação e a revelação do resultado.

Como pré-requisito para fazer o diagnóstico oral, é necessário que, nos 30 minutos antes, a pessoa evite ingerir alimento ou bebida, fume ou inale qualquer substância, escove os dentes e use antisséptico bucal. Também se deve retirar o batom e evitar realizar atividade oral que deixe resíduo. O fluido do teste oral é extraído da gengiva e o começo da mucosa da bochecha com o auxílio da haste coletora. Quando sair uma linha vermelha, significa que não é reagente. Caso apareçam duas linhas vermelhas, indica que naquela amostra há anticorpos anti-HIV, ou seja, o teste é reagente para o HIV.