Principais cuidados com as cirurgias plásticas

O Brasil, com 905.124 procedimentos, ficou atrás apenas dos Estados Unidos, que realizou 1.094.146 no ano de 2011

Comentar
Compartilhar
30 NOV 201317h17

Pesquisa feita pela Sociedade Internacional de Cirurgia Plástica Estética (Isaps) junto à Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBPC), e outras entidades, elegeu os dez países com maior número de cirurgias plásticas. O Brasil, com 905.124 procedimentos, ficou atrás apenas dos Estados Unidos, que realizou 1.094.146 no ano de 2011.

O Brasil é bem conceituado no ramo devido à qualidade das escolas de cirurgia plástica e a formação dos profissionais. Outro fator que contribui para o grande volume de procedimentos é o relativo baixo custo das cirurgias plásticas brasileiras.

No entanto, mais do que dispor de tempo e dinheiro para a realização dessas técnicas, é importante que o paciente saiba o que fazer antes, durante e após os procedimentos cirúrgicos para que os efeitos sejam menos dolorosos e os resultados positivos.

O cirurgião plástico e diretor geral do Hospital San Paolo, Dr. Nei Marinho, especializado tanto em cirurgias estéticas quanto reconstrutivas, destaca que no ímpeto de realizar o procedimento cirúrgico as pessoas acabam passando despercebido por alguns detalhes. “A começar pelo local, que é muito importante saber escolher, e o mais recomendado é o hospital. Em um ambiente hospitalar a segurança do paciente é inquestionável, pois ele possui Unidades de Tratamento Intensivo, Banco de Sangue, Centros Cirúrgicos equipados e equipes multidisciplinares, diferentemente de uma clínica, por exemplo”.

Brasil é o segundo país que mais faz procedimentos cirúrgicos (Foto: Divulgação)

Além disso, tradicionalmente o inverno é a estação mais aconselhada para fazer cirurgias plásticas, pois, o conforto pós-operatório é maior. Porém, ao optar por outra época do ano, primavera ou verão, o mais importante é ficar atento à adequação da data da cirurgia com o pós-operatório. “Na maioria dos casos, o paciente ficará impossibilitado de frequentar praias e piscinas por um período aproximado de seis meses”.

Ainda se tratando do pós-operatório, aliar a prática de exercícios físicos, sob prescrição médica, aos procedimentos já recomendados é extremamente positivo já que proporciona um ótimo condicionamento da estrutura corporal.

Embora tenha crescido a procura por cirurgias plásticas estéticas, no San Paolo são frequentes as cirurgias reconstrutivas, como as lesões faciais – mordida de cachorro, acidentes automobilísticos etc. Correção de grandes queimados e de escaras de decúbito, também são recorrentes. “Um dos cases mais emblemáticos e motivacionais que podemos citar foi o de uma criança de quatro anos com diagnóstico inicial de Síndrome de Stevens Johnson e que foi diagnosticada pelo nosso serviço como Dermatose Bolhosa, com péssimo prognóstico (1% de sucesso) e com lesões em 95% de área corporal. Após várias intervenções e 50 dias de internação a criança recebeu alta hospitalar sem nenhuma lesão de pele”, finaliza o médico.