Praia Grande inicia “fumacê” contra a dengue

Primeiro bairro a receber dedetização foi o Caieiras. As próximas regiões a receber a dedetização são Esmeralda e Quietude

Comentar
Compartilhar
08 MAR 201317h58

Começaram sexta-feira (8) os trabalhos de nebulização, popularmente conhecido como “fumacê”, no Município de Praia Grande. Seguindo a ordem dos bairros com maior número de casos confirmados, os trabalhos iniciaram-se no Caieiras, e devem se estender a todos os bairros do Município. As próximas regiões a receber a dedetização são Esmeralda e Quietude.

A chefe da Divisão de Controle de Zoonoses, Maria Fernanda Gonçalves, explica que a região dos bairros Caieiras/Tupiry contabilizam, ao todo, 79 casos confirmados de dengue. “Já trabalhamos essa região com um mutirão para remoção de entulho e materiais inservíveis que possam vir a se tornar criadouros. Agora, entramos com a dedetização, mas é preciso alertar para o fato de que o veneno mata apenas os mosquitos e não as larvas. Por isso, é necessário continuar a vigilância sobre água parada”, destaca.

Para a dona de casa Ildemir Gonçalves de Souza, que permitiu a entrada dos agentes de saúde em sua casa para realizar a dedetização, a ação é positiva. Mãe de três filhos, um atualmente com dengue, Ildemir afirma que todos já tiveram a doença em sua casa. “Eu fico atenta para não deixar nada que acumule água em casa, mas infelizmente nem todos os vizinhos agem assim.

Eu sei que dedetizar não é uma solução pra todo o problema, mas me sinto mais segura com a aplicação do veneno. Pelo menos os mosquitos que estão no ambiente vão morrer. Aí, cabe a nós fazermos nossa parte também, não deixando novas larvas aparecerem”.

Antes da dedetização, os moradores dos bairros receberão a visita da chamada “equipe de rescaldo”, que explica sobre os impactos do veneno e os cuidados a serem tomados no momento da pulverização. Animais, crianças e idosos devem ser retirados do ambiente. Os trabalhos seguem até o mês de abril. A Secretaria de Saúde Pública (Sesap) pede que os moradores colaborem, permitindo a entrada dos agentes de controle de endemias em suas residências.

O Município se prepara para o 'fumacê' desde 2012 (Foto: Divulgação)

Prevenção

Sabendo que a Secretaria de Estado da Saúde considerava 2013 como um ano epidêmico para a dengue, Praia Grande começou, já em 2012, a se estruturar para combater o aedes aegipty. Além dos três atomizadores (aparelhos usados na nebulização), bem como as roupas especiais necessárias ao manuseio do veneno, o Município adquiriu quatro novos veículos (três peruas Kombi e um Gol) apenas para o combate à dengue, que foram entregues no último dia 26 ao Município. A Sesap também investiu na atualização de seus profissionais e realizou, durante o mês de fevereiro, um ciclo de palestras envolvendo mais de 900 funcionários da rede de saúde municipal, entre agentes, enfermeiros e médicos.

Nos dias 21 e 22 de fevereiro, o Município realizou um mutirão, envolvendo mais de 100 servidores municipais, com caminhões, retro escavadeiras e outros veículos pesados, que percorreram os bairros Caieiras, Quietude e Esmeralda. Foram recolhidos mais de 10 toneladas de materiais inservíveis, e mais de 2.500 residências foram visitadas em busca de focos do mosquito. Outros mutirões devem acontecer nos próximos dias.

No momento, Praia Grande contabiliza 226 casos confirmados de dengue. Em 2010, ano epidêmico em todo o País, até o dia 18 de fevereiro, a Cidade já contava com mil casos. A conduta da Secretaria de Saúde Pública é agir de forma preventiva.